Nem Robinson acredita mais em paz no RN

Pegou mal a declaração do governador do Rio Grande do Norte, Robinson Faria (PSD), sobre os rumos da crise de segurança pública no Estado governado por ele. De passagem rápida por Mossoró (estratégia que tem sido constante), para reunião com representantes da indústria salineira, o governador atribuiu a uma “guerra de facções” o crescimento da violência nas cidades potiguares e não demonstrou otimismo.

Vai ser uma guerra até o fim. Nunca teremos um momento de tranquilidade. Nem aqui nem em nenhuma parte do Brasil.

Questionado pelo jornalista Saulo Vale, do Jornal da Tarde (Rádio Rural), sobre os investimentos anunciados por eles no setor não estarem se revertendo em resultados satisfatórios, Robinson demonstrou aborrecimento e declarou:

Você está preocupado com que? Se o governador está omisso ou se está trabalhando? Eu estou prestando contas pra você. Estou dando resultados concretos do que eu fiz pela polícia militar, pela civil, de investimento, de preocupação, de política pública. Agora, se existe uma guerra hoje no Brasil de facções, motivada por dinheiro da droga, e essa droga leva à violência, nós temos que enfrentar mesmo. Vamos enfrentar de cabeça erguida. Já enfrentei três rebeliões. Enfrentamos e vencemos as três. (Robinson Faria, governador do RN).

Na resposta aos jornalistas, Robinson declarou que seu governo foi o que mais investiu em segurança pública na história. Pena que estes investimentos não estão freando o crescimento da violência.

Isso é o Brasil. O Brasil está vivendo uma guerra de facções. Uma coisa que nunca se viu na história do Brasil. Mas a minha obrigação é cuidar do meu estado, e eu estou cuidando. Não posso fazer milagre. O que posso fazer é estruturar a segurança, promover policiais, comprando equipamentos, investindo em tecnologia. Nunca um governo investiu tanto em segurança pública quanto o meu. Para você ter ideia, a média histórica de investimento em segurança era de 7%, eu investi 14,7%, o maior investimento na história. O que está ao meu alcance, eu estou lutando para transformar o meu estado num estado mais seguro. (Robinson Faria, governador do RN).

Enquanto o discurso de que a política pública adotada pelo governo está correta, mais pessoas morrem todos os dias nas cidades potiguares. Na noite em que o governador concedeu a entrevista, inclusive, três pessoas foram baleadas no bairro Santo Antônio. Duas delas morreram. Mais duas na conta do caos urbano potiguar.

(Confira a entrevista na íntegra)

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.