Cafeína

Márcia Silveira
Oct 19, 2018 · 2 min read
Minha bebida favorita numa caneca de estrelas

Quando criança, tomava misturado com leite. Não demorou muito, fui para o puro. Meu pai tomava muito café e acho que quis ser um pouco igual a ele.

Se hoje só gosto de café com adoçante, não é dieta, é puro costume. Comecei cedo. Minha mãe, diabética, deixava o vidrinho de adoçante ao lado da garrafa térmica. E eu sempre fui preguiçosa, devo dizer. O açúcar estava sempre longe, dentro do armário. Vixe, quanto trabalho. Então me contentava com as gotinhas mesmo. Eu tinha uns 14 anos.

De lá pra cá, café virou vício. Na faculdade, era o pretinho básico que me permitia virar madrugadas terminando os trabalhos. Se bem que sempre tive insônia, então era tudo uma danada de uma desculpa para mais uma xícara.

Por falar em desculpa, a que mais uso é que tenho pressão baixa – tenho mesmo – e, se não tomar café, durmo.

Mas me diga se tem coisa melhor que um bom papo com uma amiga acompanhado de um cafezinho (ou uma cervejinha, que, não nego, também cai bem). Adoro escrever tendo ao lado minha bebida favorita. E ler um bom livro enquanto tomo um bom café nada mais é do que juntar dois vícios. Sou tão viciada que marquei na pele: um livro e um café, uma das minhas tattoos preferidas (tenho várias).

Tomo coado, longo, curto, expresso, com creme, sem creme, forte, fraco, morno, se duvidar, até frio. Não ligo pra cappuccino e outros frufrus. Gosto de café preto, puro. E o melhor é o do meu marido, que nem gosta da bebida, mas todo dia faz pra mim. Como não amar?

E, como quase todo amante de café, coleciono xícaras. Ah, são tão lindas! Sou apaixonada. Tenho da Frida, do Van Gogh, Amélie Poulain, de lua, de estrelas, de tudo que se possa imaginar. E muitas eu uso como porta-lápis (outro vício, aliás, os lápis).

Hoje, evito tomar à noite, pra não piorar a insônia. Mas até certo horário, estou sempre com uma xícara na mão, apreciando um café gostoso.

O importante, eu digo e repito, é não deixar a pressão cair. E seguir apreciando essa bebida que aquece e acolhe. Acho café uma das melhores companhias que existem.


Márcia Silveira

Written by

Mãe do Bruno e da Daniela. Escritora | Revisora. Pós-graduada em História da Arte. Estudante de Filosofia. Escrevo sobre livros no Diário do Rio.✍🏽

More From Medium

Top on Medium

Mar 25 · 22 min read

27K

Top on Medium

Welcome to a place where words matter. On Medium, smart voices and original ideas take center stage - with no ads in sight. Watch
Follow all the topics you care about, and we’ll deliver the best stories for you to your homepage and inbox. Explore
Get unlimited access to the best stories on Medium — and support writers while you’re at it. Just $5/month. Upgrade