Outonei minha alma, me fiz em pedaços, que caíram e assim voaram longe ao encontro de quem lhe soubesse ler como a poesia que és. Sussurraram esses meus sentimentos levados pelo vento. Acalentou a alma, esse aconchego se fez morada nesse peito que não cala. Te fiz de repouso e já não voo, já não quero mais ser como pássaro de galho em galho, me senti acolhida e espero que os ventos não me levem além.