Tênis é esporte de preto?

Você conhece ou já ouviu falar de Arthur Ashe?

Arthur Ashe foi um dos maiores tenistas de todos o tempos. Norte-americano, nascido em Richmond, Virgínia, foi número 1 do ranking principal na década de 60/70, tem 33 títulos de simples (categoria individual). Possui os títulos dos 4 GrandSlams (os 4 principais e mais importantes torneios da modalidade), sendo Australian Open, Wimbledone USOpen jogando a chave de simples e Roland Garros disputado em duplas. Foi campeão da Copa Davis pelo seu país (torneio de seleções) e presidente da ATP (Associação dos Tenistas Profissionais), que é a responsável pela categoria masculina no circuito do Tênis.

Arthur Ashe foi o primeiro tenista preto a chegar no topo do ranking e consequentemente ser o número 1 do mundo. Foi o primeiro tenista preto a conquistar Wimbledon e marcar seu nome na famosa grama sagrada de Londres, no tradicionalíssimo All England Club. Foi o primeiro tenista preto a ser convocado para a seleção dos Estados Unidos e consequentemente ser o principal jogador das conquistas da Copa Davis nos anos de 1968, 1969 e 1970. Enquanto sendo um dos formadores da ATP, interveio para a inclusão da África do Sul no circuito profissional de Tênis. Ashe também foi o primeiro tenista preto a ter seu nome dado a um dos principais templos do esporte: a Arthur Ashe Stadium, em Nova Iorque.

Arthur Ashe e seu troféu de Wimbledon, conquistado em 1975

Mesmo sendo um desconhecido para os brasileiros, Arthur Ashe é muito reverenciado pelos afro-americanos não só por seus feitos dentro de quadra em um esporte predominantemente branco, elitista e acumulador de muitas histórias racistas, mas também por sua luta em causas sociais e combate contra o preconceito em uma época onde a segregação sangrava a sociedade norte-americana e opositores a essa violência humana eram tratados como inimigos do estado e terroristas.

Infelizmente Arthur Ashe não pode continuar sua luta após se aposentar das quadras… Devido a complicações no coração precisou de transfusão de sangue para uma operação, contraiu o vírus HIV e faleceu em 1993, aos 49 anos de idade.

Sempre lembrado nas grandes competições, principalmente no Grand Slam USOpen, Ashe é um símbolo de força, ânimo, esperança e resistência onde sua cor de pele era colocada como seu maior adversário. E seus passos e exemplos continuam a ser lembrados através de atletas como as irmãs Venus e Serena Williams, ambas com histórias marcantes e vivas no esporte.

Para nós, segue o exemplo, seja de Ashe, Venus e Serena, de que o nosso lugar é em todos os lugares.

*Documentário sobre Arthur Ashe, produzido pela BBC.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.