Colaboratividade vs Tradicionalismo

Jornal Nacional fazendo uma reportagem sobre economia compartilhada. O que me deixou interessado na notícia foi a evidência de um “espírito” governamental que busca sempre um modelo conservador de negócios. Por exemplo, o que me impede de chegar num acordo com o meu vizinho que, por 10 pila eu levo ele até o destino que ele precisa chegar? Ou ainda, porquê eu não posso alugar um quarto na minha casa por 50 reais? É concorrência desleal com os hotéis que pagam taxas absurdas e o governo deixa de arrecadar? Foi interessante ver a reportagem colocando os casos negativos de experiências. AirBNB, UBER, e outras empresas de tecnologia compartilhada foram evidenciadas na reportagem. O mais legal é ver que, mesmo em casos negativos, os prejudicados foram cobertos pelos seguros das próprias empresas! Agora, ao mesmo tempo que os governos tentam regulamentar as atividades compartilhadas (que, sem dúvidas, tornam a vida mais rápida, simples e barata) o ser humano busca ser, cada vez mais, humano.

#somostodosUBER

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.