This story is unavailable.

Oi Ana,

Então, quando falo em trabalhar no mindset brasileiro, eu falo na reunião que nunca começa na hora, nas piadinhas antes de se introduzir um assunto sério nas reuniões (muitas vezes de cunho preconceituoso ou sexual), nas coisas que temos que aceitar porque é assim que funciona no Brasil e não podemos fazer nada para mudar, na valorização do relacionamento pessoal em detrimento do comercial, na mesquinharia na hora de se investir e na expectativa de altos lucros por isso, no desrespeito ao cliente, tratando-o como um inimigo em potencial ou uma presa a ser caçada, no corporativismo de várias classes (dos taxistas, passando pelos advogados, médicos ou engenheiros), ver alguém talentoso como ameaça e não como mais um ativo para seu próprio aprimoramento e, principalmente, na vergonha que compulsoriamente temos que ter por ser alguém de sucesso…São essas as consequências de todos os pontos levantados pelo Mark, e por isso adorei tanto o texto dele…o cara conseguiu abordar uma questão tão complexa em uma leitura de 10 minutos, e ainda tem gente advogando contra. E isso realmente me desanima quando imagino o futuro do nosso país.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.