O que se espera de um cristão no trabalho

“O trabalho é uma benção proposta por Deus.”

Esta frase não foi aceita pelo meu coração na primeira vez que a ouvi. Como o trabalho pode ser uma benção se uma das melhores horas do dia era quando estava saindo do meu trabalho e as melhores horas da semana estavam entre às 18 horas da sexta-feira e os instantes finais do domingo? Ou você nunca concordou com um meme da sexta-feira?

Eu não estava desmotivado ou insatisfeito com o meu emprego, mas confesso que o versículo de Gênesis 3:19 sempre resumiu a vontade de Deus quanto ao trabalho para mim:

"Com o suor do seu rosto você comerá o seu pão, até que volte à terra, visto que dela foi tirado; porque você é pó e ao pó voltará" 
Gênesis 3:19 NVI

Essa compreensão era fruto de três pensamentos errôneos que arruinam muitos corações:

  • O meu trabalho precisa diretamente ser aplicado em minha congregação
  • Servir no reino é sinônimo de atividade ministerial de tempo integral
  • É preciso criar alternativas cristãs de trabalho, proporcionando assim um ambiente favorável ao evangelismo e a pregação da palavra.

Quando esses pensamentos são verdade para nós e não conseguimos enquadrar a nossa vida profissional neles, acabamos nos frustrando e trabalhando para sermos felizes e ‘servirmos ao reino’ nas nossas horas vagas.

Todavia, quando olhamos para os dois capítulos anteriores de Gênesis, os primeiros da Bíblia, encontramos Deus trabalhando, criando, mantendo e provendo: criação do homem (Gn. 2:7), plantação e regagem do jardim (Gn. 2:6,8) e criação da mulher (Gn. 2:21,22).

Heber Carlos Júnior, expõe sobre o profissional segundo Deus:

“Precisamos deixar de ser profissionais que são cristão (fé anexada à vocação) para nos tornarmos cristão em nossa profissão (fé transformando a vocação). A maneira de trabalhar precisa refletir o que nós temos em nós e não apenas anexar comportamentos/atividades para mostrar.”

A partir dos textos de Gênesis é possível ver um Deus que espera de nós uma dedicação real em nossas vidas profissionais. Logo, não devemos ser apenas profissionais honestos e pontuais, mas profissionais comprometidos com os valores que nossas atividades sustentam e com as pessoas que estão ao nosso redor.

Esse e outros posts relacionados a trabalho e vida cristã, são frutos da meditação na palavra, da leitura do livro “Como integrar fé e trabalho” de Tim Keller e Katherine Leary Alsdorf, da pesquisa em outros materiais e do compartilhamento do tema na célula.