Aqueles que se amaram até a mais profunda verdade que se dá ao olhar;
Os mantes que tenham compartilhado até a fronteira sem palavras;

Que conheçam a intimidade um do outro, tão profundamente quanto o abismo, onde todo o sentido evapora …

Esses, saberão além de qualquer romance que a ficção é a substância do ser.

Poderão viver o resto da vida juntos, ou separarem-se para nunca mais. Não importa. Terão marcado um ao outro com a lucidez da nudez do corpo e da alma.

Serão aqueles que conhecem, um no outro, a mais inexorável finitude.