Image for post
Image for post

No primeiro artigo dessa série, que foi criado com o objetivo de mostrar para os demais colaboradores da Acesso a importância dos princípios da Gestalt quando criamos uma interface, eu listei algumas de suas principais leis, nesse artigo continuo me aprofundo um pouco mais no assunto, trazendo mais algumas leis.

É fascinante perceber na prática como a aplicação dos princípios da Gestalt, quando bem aplicado, são capazes de resolver as questões que enfrentamos quando estamos criando uma interface, como profissionais de UX sabemos que tudo começa na fase da pesquisa, mas e quando vamos prototipar algo, por onde começar?

Sem dúvidas alguma, ainda nas fases iniciais de qualquer protótipo, utilizamos dos princípios da Gestalt de forma consciente ou não para começarmos a criá-los. …


Image for post
Image for post

Os princípios da Gestalt descrevem como o olho humano percebe elementos visuais — em particular, eles nos dizem que imagens complexas tendem a ser reduzidas a formas mais simples. O psicólogo da Gestalt, Kurt Koffka, resumiu-os assim:

Traduzindo: Isto equivale a dizer que “A + B” não é simplesmente “(A+B)”, mas sim um terceiro elemento “C” que possui características próprias. Podemos simplificar dizendo que, para se compreender as partes, é preciso antes compreender o todo, mais adiante vamos entender isso melhor.

Gestalt e UX Design

Os princípios da Gestalt, que de tão importantes são chamados por muitos como “As leis da Gestalt”, desempenham um papel fundamental para possibilitar criar interfaces de fácil compreensão e interação simples com seus usuários.As leis da Gestalt permitem que os profissionais de UX possam criar elementos, dando maior ênfase ou não a determinada informação, alterando a sua hierarquia, agrupando elementos semelhantes, e no final formando o sentido correto que as informações apresentadas devem ter. …


Image for post
Image for post

O objetivo desse post foi ajudar a evangelizar a cultura de UX dentro da Acesso, mostrando um pouco para os demais colaboradores como nós, profissionais de UX, tomamos algumas de nossas decisões ao criar uma interface.

Os princípios da Gestalt descrevem como o olho humano percebe elementos visuais — em particular, eles nos dizem que imagens complexas tendem a ser reduzidas a formas mais simples. O psicólogo da Gestalt, Kurt Koffka, resumiu-os assim:

Traduzindo: Isto equivale a dizer que “A + B” não é simplesmente “(A+B)”, mas sim um terceiro elemento “C” que possui características próprias. Podemos simplificar dizendo que, para se compreender as partes, é preciso antes compreender o todo, mais adiante vamos entender isso melhor.

Gestalt e UX Design

Os princípios da Gestalt, que de tão importantes são chamados por muitos como “As leis da Gestalt”, desempenham um papel fundamental para possibilitar criar interfaces de fácil compreensão e interação simples com seus usuários.As leis da Gestalt permitem que os profissionais de UX possam criar elementos, dando maior ênfase ou não a determinada informação, alterando a sua hierarquia, agrupando elementos semelhantes, e no final formando o sentido correto que as informações apresentadas devem ter. …

Get the Medium app

A button that says 'Download on the App Store', and if clicked it will lead you to the iOS App store
A button that says 'Get it on, Google Play', and if clicked it will lead you to the Google Play store