Começou a temporada de caça. E o prazo vai até 2018.

Quarta, 17 de fevereiro de 2016. Acordo perto das 10 horas da manhã (comum pra quem está de férias), ligo a TV na Globo News e vejo algo que mais parecida briga de torcida em dia de Fla x Flu do que protesto de verdade.

Pra quem não tá acompanhando os noticiários ultimamente, o Ministério Público de São Paulo abriu inquérito sobre uma suposta propriedade de familiares do ex-presidente Lula em um tríplex no Guarujá, em São Paulo. e hoje uma liminar adiou esse depoimento que seria realizado hoje pela tarde. Essas últimas semanas vem pegando o ex-presidente de surpresa, o mesmo alega estar sendo “caçado” e é claro, denigre a imagem dele pois ele terá que dar explicações sobre algo que envolve a vida privada e também afeta como líder político, deixando um pouco isso de lado, a cena que me levou a refletir foi protagonizada por dois grupos.

Hoje pela manhã, na frente do Fórum Criminal da Barra Funda, o maior da América Latina, grupos a favor e contra o ex-presidente estão se concentrando, nada muito diferente do que a gente é acostumado a ver em protestos isolados das duas partes. De um lado, os governistas, movimentos sociais e sindicatos defendendo o Lula, do outro, o pessoal da ~intervenção~ militar e Fora Dilma. Um só fazia gritar palavras de ordem pro outro, foi necessário até a PM separar os dois grupos por grade, era tão parecido com briga de torcida que até sinalizadores estão sendo usados pelos grupos pró-Lula e frutas e ovos estão sendo jogados de um lado pro outro. Uma mulher chegou a levar uma pedrada e saiu sangrando do protesto. Dá pra concluir como a política brasileira tá cada vez mais polarizada e como isso prejudica o país (alô Marina Silva) e nem precisa de eleições pra percebeer isso, até mesmo um simples GIF é capaz de mostrar isso com uma veracidade assustadora.

Depois do que aconteceu em 2015 (Dilma fazendo rigorosamente o contrário do que prometeu nas eleições), dificilmente irei colocar minha cara à tapa por algum político de novo, mesmo aqueles que eu considero capacitados para se candidatarem em 2018, como o Ciro Gomes, mas uma coisa é certa: A oposição, que por sinal é a mais ridícula que já vi, está com muito medo do Lula voltar em 2018. Mesmo o ex-presidente não anunciando nenhuma pré-candidatura nem dando indícios de que vai se dispor a concorrer ao cargo, ele já tem mais de 20% das intenções de voto embora não esteja em nenhum cargo político há 5 anos. Ou seja, essa porcentagem votaria nele só pelo fato dele ser o Lula, considerado um dos maiores políticos do Século XXI e um dos mais reconhecidos no mundo pelos avanços realizados na primeira década do novo milênio (avanços que estão sendo perdidos nessa recessão). É claro que essa estatística preocupa a oposição, o povo brasileiro se sente enganado pela Dilma, sua impopularidade torna, ao meu ver, inviável sua candidatura para 2018.

Por mais que a tendência interna do Lula, a Construindo um Novo Brasil ou simplesmente CNB esteja perdendo força dentro do partido (mesmo sendo a majoritária), ele ainda é a maior referência do partido para as próximas eleições presidenciais. Isso também se deve ao fato do povo brasileiro ter uma cultura bem saudosista e isso é fácil de perceber, basta ver quando um governista vai falar da gestão do Lula ou quando um boleiro vai falar da Seleção que ganhou a Copa do Mundo de 2002.

Creio que o Lula esteja muito desgastado com toda essa questão. Ao meu ver, não vejo com bons olhos essa volta suposta volta dele. O modo como ele tentou tutelar o partido em 2015 e algumas frases exageradas estão queimando sua imagem e se continuarem, podem apagar uma biografia de um dos maiores políticos da história do Brasil. Se essa investigação do Lula vai dar em algo eu não sei, se ele cometeu mesmo um crime não podemos ter certeza, ele é inocente até que se prove o contrário (muita gente pensa o inverso). Mas podemos ter certeza de uma coisa: O Brasil tem uma necessidade gritante de formar liderança em todos os aspectos.

A single golf clap? Or a long standing ovation?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.