[tradução] Não escreva como um escritor.

Escreva como um negócio.


Nota do tradutor: A intenção aqui é tornar o conteúdo em língua estrangeira acessível para o nosso idioma, numa forma de fazer boas idéias chegarem a um público maior. É uma ação sem fins lucrativos.



Para ter sucesso em qualquer campo criativo, você deve fazer algo inconcebível. Algo que provavelmente irá fazer sua linda alma artística murchar, assim como flores tocadas por um Dementador (não consigo resistir as minhas referências a JK Rowling, como sempre).

Você deve tratar a sua criatividade como um negócio.

Isso é ainda mais verdadeiro na escrita. Há um mundo muito diferente hoje em dia para um escritor. A era de acordos com editoras e romances de sucesso garantido acabaram. Se você quiser viver exclusivamente como escritor, você precisa encarar sua criatividade como um negócio.

1. Seus leitores são usuários. Como está a experiência de uso deles?

Aqui está o ponto mais importante. Se você quiser aumentar o seu número de leitores, você não pode mais pensar neles apenas como leitores.

Você precisa imagina-los como clientes e usuários, que vieram atrás de um produto e uma experiência que atenda suas necessidades.

Isso significa que você precisa pensar sobre como seu texto é lido, seja numa página ou num aplicativo. Há toda uma internet, com seus gatos fofinhos e engraçadinhos, apenas esperando para capturar a atenção do seu leitor/usuário. Como evitar que eles roubem a atenção dos seus leitores?

Exemplo:

Descobri que atraio mais tweets sobre o meu trabalho quando dou mais destaque a algumas frases marcantes e afirmações. Geralmente escrevo meu texto em torno de algum conceito chave. Então o destaco em negrito ou transformo em uma citação que acabe atraindo o olhar de um leitor ocasional. Crie um texto pensando na experiência do usuário.

2. Monitore. Teste. Aprenda. Ajuste.

Você precisa testar o seu trabalho. Quando você publica um texto na internet ou entrega para avaliação, é importante permanecer atento para aplicar as mudanças que forem necessárias. O processo de melhorar sua escrita e sua leitura será muito mais fácil quando você monitora a reação das pessoas em relação a seu trabalho.

Por exemplo, você pode escrever um artigo longo de 2000 palavras sobre suas experiências com diversidade. OK. Mas se dessa maneira você não conseguir atrair leitores, então pode ser interessante fazer modificações como cortar o tamanho do texto ou incluir mais imagens.

Exemplo:

Eu não simplesmente publico um texto sem pensar. Eu publico um texto com uma percepção ou ideia e procuro avaliar como meus leitores irão reagir a elas.

Neste texto em questão, a percepção que estou testando é a de que muitos dos meus leitores estão tão interessados em aprender como escrever melhor quanto sobre como criar startups. Saberei se estou certo quando eu comparar minhas análises e dados com os textos anteriores.

3. Não corra atrás de investimentos. Corra atrás de leitores.

Não perca seu tempo sonhando em conseguir investidores para seu projeto, correndo atrás de um acordo com alguma editora ou ser pago para escrever uma coluna. Isso não irá te tornar um escritor de verdade. Se você está sempre querendo parecer atraente para investidores ao invés de sair por aí e encontrar leitores de verdade, saiba que estará perdendo a chance de entrar em contato com pessoas cujas vidas você poderia ter mudado.

É mais importante se conectar genuinamente com 10 pessoas que poderão se tornar seus leitores fieis, do que ir atrás de 100 editoras que talvez queiram pagar pelo seu trabalho. Quando você tiver leitores suficientes, essas editoras estarão atrás de você ou esperando pelo seu contato.

Exemplo:

Não enviei nenhum texto para avaliação há muito tempo. Ao invés disso, eu monitoro com atenção as pessoas que leem meu trabalho. Eu leio cada tweet e tento responder pessoalmente cada um. Eu encontro e interajo com pessoas o tempo todo como forma de ganhar sua confiança e audiência. Isso é o que importa.

4. Tenha um plano e siga-o.

Se você quiser se tornar um escritor, não basta apenas comprar um belo notebook e uma cadeira confortável, esperando que assim consiga escrever seu livro magicamente. Isso não vai funcionar.

Se você não tiver um plano, garanto que você vai acabar assistindo a Netflix ao invés de escrever.

Então crie um plano de negócios, da mesma forma que você faria em um empreendimento comum. O plano deve definir o quê e como você pretende escrever, além de seus objetivos, metas e indicadores de performance. Esse documento será o guia para os próximos 6 ou 12 meses da sua carreira de escritor.

Exemplo:

Eu mantenho minha programação numa planilha do Google Docs. Posso ter indo um pouco longe demais, já que eu tenho conteúdos e livros agendados para os próximos dois anos. Mas ter um plano de negócios de 2 anos é normal.

5. Leve o marketing a sério.

Isso é algo que até muitas startups não levam em consideração suficiente. Você precisa pensar em como alcançar os seus leitores e como se tornar interessante para eles. Faça da sua estratégia de marketing uma parte importante do seu plano de negócios e invista tempo pensando em maneiras de aprimora-la.

Você precisa conhecer quem são os seus leitores ideais e construir personas baseadas neles. Isso o ajudará a definir a forma de atrair e conectar com o público e também irá te guiar nas suas decisões sobre usabilidade, experiência de leitura, design e marca

Seu marketing deve usar tantos canais quanto você achar necessário, sempre levando em conta que os mais importantes devem ser o seu blog pessoal, seu perfil em redes sociais e sua newsletter.

Exemplo:

Eu utilizo o Medium como meu canal principal de marketing, escrevendo cada texto com call to actions bem claros e definidos que estimulam meus leitores a me seguir no Twitter ou visitar meu website. Eu sei que para meu estilo e meus assuntos, o Medium é um grande canal de marketing para minha audiência, porque ele é familiarizado com meu “leitor ideal”.

6. Inove.

Você está escrevendo para uma audiência on-line. Pessoas de todos os lugares do mundo podem ter contato com seu trabalho e ser impressionado por seus pensamentos e palavras. Nunca na história tivemos uma plataforma de distribuição tão poderosa para a palavra escrita. É espetacular se você parar para pensar no poder que há em ser um escritor on-line atualmente.

Então pense sobre inovação. Como você pode fazer seu trabalho chegar a esses milhões ou bilhões de potenciais leitores? Como você pode fazer diferente e como você pode tornar seu trabalho ainda mais atraente para essas pessoas?

Exemplo:

Eu irei experimentar landing pages em alguns dos meus textos no Medium ao longo das próximas semanas. As páginas terão um design adequado e serão otimizadas, com o objetivo de dar aos potenciais leitores uma amostra de cada texto. Essas amostras irão direcioná-los para o meu perfil. Não sei se isso dará certo ainda. Mas sei que inovar dessa maneira é algo positivo.

7. Sonhe grande.

Você quer se tornar o maior escritor do mundo? Não há nada de errado nisso. Não há nada de errado sonhar que um dia suas palavras irão salvar a vida de alguém ou serão a inspiração para algum grande filme.

Quando um escritor define metas assim, geralmente é chamado de arrogante. Mas se um empreendedor tem ideias semelhantes e desejam construir algo grande ou inacreditável que irá abalar as estruturas, estes são chamados de visionários. Essa diferença não faz sentido. Sonhar grande não é apenas para celebridades da tecnologia, mas para todos que querem criar alguma coisa.

Se você gostou desse conteúdo, por favor, curta o artigo original e valorize o trabalho do autor.

Jon Westenberg

O AUTOR

Jon Westenberg é empreendedor e fundador da Creatomic
Correções e sugestões de conteúdos para tradução são muito bem vindas. Use o espaço de comentários. ;)