Vamos ser mais vaidosos e tomar cuidado com o conteúdo que produzimos?

Tu deve estar doido para saber o que tenho a dizer sobre a produção de conteúdo para internet, mais especificamente para o Facebook. Antes de continuarmos, vou me apresentar rapidamente! Tenho 23 anos e atualmente estou na sétima fase da minha graduação no curso de publicidade e propaganda, pela faculdade Estácio de Sá de São José - SC, e trabalho como como social media há quase dois anos.

Esse texto é para quem tem uma página no Facebook para administrar, mas não faz a menor questão de ser chamado de SOCIAL MEDIA e não tem como principal objetivo usar termos técnicos para o assunto abordado.

Tenho plena consciência que não sou o melhor exemplo da profissão, mas em um mercado cada vez mais concorrido busco meu aprimoramento. Seja buscando informações, investindo em cursos ou até mesmo observando como os meus amigos de profissão trabalham. E é sobre como alguns se comportam, que gostaria de me aprofundar nesse breve texto.

“Qualquer um pode ser social media! É só fazer um textinho no blog, postar no face, tuiter, insta…”

O tipo de pensamento acima deve acabar! O profissional da SOCIAL MEDIA deve ter imensa responsabilidade por aquilo que publica, pois ele está falando em nome de uma empresa. Muitas vezes, ele pode ser o responsável por um desastre, como pode ser a peça chave de uma grande visibilidade que muitas marcas necessitam.

A informação compartilhada não deve ser apenas jogada na timeline de quem acompanha a página. Devemos ser vaidosos com o conteúdo que iremos compartilhar, mesmo que isso leve tempo de análise e mil revisões.

Observando alguns colegas de profissão, não é difícil achar pequenas falhas que, talvez, eles cometam por pura pressão que temos do timing do compartilhamento. Veja alguns exemplos!

Na página do Thiago e Júnior (http://bit.ly/1WDTjj0) há de tudo, menos informações sobre a dupla. Na imagem abaixo, podemos visualizar o tipo de conteúdo que é compartilhado, que nitidamente não há o menor cuidado. Muitas vezes, até incentivando a violência, como é o caso em especial do print que fiz, onde duas menores discutem e se agridem fisicamente.

Link do vídeo na página: http://bit.ly/1MyjWAd

Ao fazer isso, o profissional da área, deve ter em mente algumas coisas que são:
1º — ele está expondo duas gurias menores de idade em um ato de violência.
2º — o conteúdo compartilhado pode dar muitas visualizações, mas não é relevante. Prefira conteúdos relevantes! 
3º — Não incentive a violência, seja qual for o motivo. 
4º — Aprenda a diferença entre “!” e “?”

Para você que tem um pouco mais de conhecimento técnico, isso pode até parecer chover no molhado (e realmente é!) mas é impressionante, o quanto vem crescendo esse tipo de atitude nas redes sociais. É necessário que quem contrate esse tipo de serviço -geralmente empresários- saiba valorizar o trabalho de profissional qualificado para essa função de relação de marca com o público na internet.

Like what you read? Give Marcos Molina a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.