Não vá se perder por aí #08

Não vá se perder por aí é um conjunto de indicações de links bacanas. São sites, textos, vídeos, músicas e podcasts pra você degustar durante a semana, sem pressa.


  • Quer desenhar e está sem ideias? Use essa lista: um bom começo pra quem quer desenhar é pegar uma lista de coisas para desenhar e seguir ela todinha. Pode parecer um método muito burocrático, mas vai te ajudar a adquirir ritmo e criatividade. O ilustrador Phil McAndrew criou essa lista com 400 coisas pra você desenhar. Se você fizer um por dia já vai ser um bom começo, não?
  • Quer começar um podcast de forma bem simples? O Soundcloud é uma boa alternativa: eu acredito na história de que a gente só aprende a fazer as coisas fazendo. Uma coisa bem complicada quando alguém pensa em iniciar um podcast é aprender a configurar e produzir tudo (arquivos de áudio, postagens, feed etc.). Neste sentido, uma ótima solução pra quem quer iniciar um podcast é utilizar o Soundcloud. Eles abriram a utilização da plataforma para o público em geral nesse ano (antes era só versão beta) e o plano gratuito te dá 3 horas de upload. Claro que se você levar a coisa mais a sério você vai ter que pensar se vale a pena pagar o valor da assinatura anual (que, pra mim, é um pouco salgada). Mas é o que eu disse no começo: tem que aprender fazendo e essa plataforma é perfeita pra isso.
Gif criado por Nicolas Monterrat
  • E se algum robô conseguir fazer o seu trabalho?: esse é um medo antigo, o medo de que o mundo se torne automatizado o suficiente ao ponto das pessoas perderem o seu emprego e forma de sustento. Francis Bacon imaginou uma sociedade futurista em que as máquinas trabalhariam para os homens e todos utilizariam de seu tempo livre para ter uma vida melhor e mais significativa. Mas será que é isso que vai realmente acontecer?
  • Existe beleza universal?: será que existe um padrão de beleza universal em que todos se encaixam, ou deveriam se encaixar? Muita gente já tentou justificar a ideia de beleza com a simetria, por exemplo, mas provavelmente essa não é uma resposta suficiente para dar conta de tudo o que encaramos como belo.
  • A arte de rua em tempo de crise na Grécia: a arte de rua é uma forma de expressão não só artística, mas também política e social. Neste link você pode ver algumas imagens que sintetizam as angústias e inquietações dos jovens gregos neste tempo de crise.
  • Hoje, não ontem: o nosso passado tem relação direta com o nosso presente. Mas será que você consegue transformar o que já viveu em aprendizado? Eu não.
  • Ficções #30, Videogames: Os videogames são, essencialmente, um produto de entretenimento. No entanto, a possibilidade de se abordar temáticas filosóficas não é incompatível com nenhuma forma de expressão cultural. Neste episódio analiso os videogames como possibilidade de desenvolvimento lúdico e aponto três jogos que, para mim, mostram ser possível conciliar entretenimento e filosofia por meio da simulação dos games.
  • O que as pessoas inteligentes têm em comum?: elas dormem tarde! Simples assim.

Então, por hoje é só. Um abraço e até semana que vem, com mais um Não vá se perder por aí.