A saudosa virtude da esperança

Vivemos hoje num mundo de abundância. Embora ainda exista desigualdade de acesso, a abundância está presente, e nunca, em nenhum outro período histórico, tivemos tanto. Infelizmente a Era da abundância veio acompanhada da Era da desesperança.

Ter ciência de um propósito e de que você, com todas as suas atribuições, são partes de um todo tão grande quanto o mundo, poderia ser, por si só, um motor de combustão infinita de motivação. A possibilidade de realizar um propósito é um dos presentes mais valiosos que podemos nos dar durante a vida, mas a falta de esperança nos tira esse ímpeto.

A possibilidade de realizar um propósito é um dos presentes mais valiosos que podemos nos dar durante a vida, mas a falta de esperança nos tira esse ímpeto.

Ter a ambição de construir um mundo melhor, partindo sempre de você para o mundo, requer que tenha esperança, só começamos a nos transformar quando temos esperança de que aquela transformação nos trará bons resultados. A realidade da construção de sociedade no nosso país, Brasil, nos tirou a esperança e junto com ela se foi a crença numa melhora, nos colocamos numa zona de conforto desconfortável, aceitamos que furem fila, que o "QI" (Quem Indicou) valha mais do que as competências individuais e como instrumento de autodefesa, começamos a transferir as responsabilidades.

Quem tem esperança não tem medo ao chegar a uma entrevista de emprego onde se é o único "filho de ninguém", pois tem certeza de que seu esforço para ser melhor a cada dia vai fazer com que a sua origem humilde seja compensada e recompensada. Infelizmente não vivemos no mundo ideal e muitas vezes vamos nos decepcionar, mas podemos e devemos nos esforçar diariamente para alcançar esse mundo ideal.

Houve um tempo em que se tinha esperança de sobra, o Brasil era referência no futebol mundial e “não tínhamos problemas”, as empresas eram estatais e vendiam muito bem, não existia risco de crises catastróficas a curto, médio ou longo prazo. Mas caímos e nos encontramos vivendo um período nebuloso e ainda assim temos abundância, não adianta ser pessimista, essa é uma realidade e vamos melhorar cada vez mais, graças às pessoas que tem esperança.

Não tenho capacidade técnica de avaliar os critérios mercadológicos e as variáveis incontroláveis que me cercam, mas posso influenciar meus dez amigos mais próximos, meus colegas de trabalho e implantar, naqueles que assim quiserem, a semente da esperança, mostrar com exemplos o que eu vejo, o que faço, o que sinto, o que ganho, o que perco e imantizar novos esperançosos para perto de mim, todos nós podemos fazer isso.

A saudade da esperança me faz querer buscá-la onde quer que esteja e mantê-la comigo, mostrar para as pessoas que as injustiças ocorrem quando as aceitamos e que não podemos tratar o mundo como a casa de um estranho, mas como nosso lar, não tratar seu próximo como um estranho, mas como um semelhante e trazer esperança e oportunidades para aqueles que estão dispostos, exaltando-os e criando uma nova velha cultura de acreditar que as coisas podem melhorar. Se isso soa como "unidos venceremos" é porque de fato o é, apenas com um otimismo ridículo e atitudes exemplares que podemos continuar sonhando e construindo um mundo melhor.

Like what you read? Give Marcus Vinícius Rodrigues a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.