Oi Moça! Estes tempos, estive relendo o básico sobre a Literatura Brasileira e Portuguesa, da…
Gabriela Cravo e Canela
31

Olá!
Isso é muito, muito, importante mesmo de ser dito!
Na verdade eu nunca tinha parado para pensar nessa questão até chegar na faculdade, que por sorte, tem muitos estudos e pesquisas sobre isso.
Se tem uma coisa que eu aprendi é que literatura é muito política. Além das mulheres, existem muitos homens que também foram excluídos da história da literatura — não se engane. Conhece ou ouviu falar de Pedro Rabelo? Pois é, ele foi um dos fundadores da Academia Brasileira de Letras — isso já deveria ser suficiente para lhe dar alguma fama, não?
Mulheres escreviam tanto quanto os homens, só não podiam mostrar. 
Por exemplo, tem a Adelaide de Castro Alves Guimarães. O sobrenome te lembra algo? 
Adelaide era irmã do nosso famigerado Castro Alves… mas ninguém fala sobre isso. Inclusive já vi a injustiça de ter poemas dela assinados com o nome dele!
Como ela, existem aos montes. Mas já existem grupos de pesquisa que vão resgatar essas mulheres perdidas no passado e, inclusive, já tem até publicações. Como o romance Ursula, de Maria Firmina dos Reis — considerada a primeira romancista brasileira (1825), e este romance é considerado o primeiro abolicionista brasileiro (só que nem todos historiadores aceitam). E também tem o romance Lesbia, de Maria Benedita Bormann (1853) cujo pseudônimo era Délia
Outros nomes me fogem à memória, mas ainda bem que está acontecendo esse resgate importantíssimo! Ainda há muito para ser descoberto e muito que já foi perdido para sempre… Nossa história literária é muito fechada politicamente, e muito injusta. Mas aos poucos esperamos que isso mude ❤

Enfim, que bom que você já problematiza isso ❤ muito amor ❤ 
obrigada por passar por aqui!