Recordar

Meu corpo, minhas regras

Minhas barreiras físicas e emocionais

Minha poesia, minhas letras

Eu estou sufocando com suas palavras convencionais

Tem sentido esse existir?

Tem algum eu no seu sorriso?

E se tiver, quem garante que não vai desistir?

Sou apenas eu, triste sem motivo

Não me ame, eu não posso mais amar

Mas por favor me toque, nem que seja com o olhar

Essa chuva que cai e não para

O seu beijo que vai e entre nós paira

Pode existir algum sentido nessa confusão

Eu não imaginava que seria assim

Pensei que o seu toque perfuraria meu coração

Hoje eu já não posso dizer que sim

O que nós fomos, costumávamos ser

Hoje não somos, morremos ao entardecer

Eu só quero uma pele para me aquecer

Eu só que amar sem pertencer

Eu gostaria de ser

Sem esquecer

Hoje nada sou

A nenhum lugar vou

Eu gostaria de dormir sem ter suas palavras a ecoar

A sua voz para relembrar

E saber que existe uma frustração

Um antigo amor de recordação

Por favor, me deixe em paz

Eu não quero a amargura nos lábios

Que essa lembrança me traz

Hoje amor, não mais

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.