Acreditar?

Eu acreditei que ficaria ao seu lado, independente de qualquer coisa. Que te compraria amanditas e pipoca temperada pelo chefe, pelo menos uma vez por semana. Eu acreditei que iria brigar com você toda vez que você me comprasse biz branco, mesmo você sabendo que não era briga e sim manha. Acreditei que ficaríamos até sem pagar a luz mas não ficaríamos sem ir ao cinema (muitas vezes mais para comer pipoca do que para assistir filme). Acreditei que ainda faríamos aquele ensaio, ou aquela maratona de Woody Allen. Acreditei que você me amava quando seu sentimento era mais próximo de ódio e repulsa do que de amor. Acreditei que a distância não seria problema, até descobrir que morar longe é o de menos. Acreditar em tanta coisa sozinha foi o que, de fato, nos fez tão distantes.