Estava conversando com meu ex-namorado, numa das suas últimas respostas, ele foi rápido: você cria expectativas, Eduarda(sei que na mensagem tinha a palavra expectativas no meio). Fiquei chateada e deixei ele pra lá. Mas hoje, parei, olhei e cheguei a conclusão que criei expectativas demais. Criei um príncipe que não existia. Criei uma pessoa que só era ela, que foi apenas ela.

Cheguei a conclusão depois de passar um sábado com ele, olhei bem os olhos dele, o jeito dele, a forma como ele me abraçou quando abriu o portão da casa. Ele estava sendo ele todo este tempo. Não tiro a responsabilidade dele por suas indecisões, mas sobre as expectativas, me responsabilizo. Criamos tantas expectativas e ficamos triste quando as pessoas não correspondem.

Não me arrependo das coisas que fiz ou das decisões que tomei. Foi exatamente isto que me fez crescer em duas semanas e meia, por incrível que pareça. Acredito que estar de mente sempre aberta é essencial. Foi me questionando, tendo uma hiper crise de estresse e ansiedade que me fez tomar a rédeas de mim.

Estive com ele no último sábado, ficamos um momento juntos. Foi incrível perceber que ele era só ele, e eu não estava mais vestida com aquele mar de expectativas, ele só correspondeu aquilo que demonstrei naqueles momentos nossos. Foi bom, mas tô sem expectativas futuras. Até porque não faz bem criar expectativas com pessoas, pois elas cedo ou tarde irão quebrá-las.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.