Hoje eu quero o seu pau do meu jeito

Eu adoraria passar a mão nos seus ombros largos agora, chegar bem perto do seu ouvido, roçar de leve o meu rosto no seu pescoço e, sem ninguém notar, te propor de irmos para a minha casa.
Você sabe que prefiro vinho, não terei muitas opções, podemos parar no caminho e comprar umas cervejas, se você não se importar. Mas um beck eu salvo, se você curtir. Só vai ter que pegar dentro do meu decote, porque, não sei como, acho que se perdeu aqui. Lá em casa é melhor, ok?
Calma, gato, meu certo é o certo. Não precisa pressa, não vale a pena adiantar os trabalhos daqui até lá. Confia, relaxa. Fica muito mais gostoso assim do que correndo. Vai ser diferente, eu prometo, só relaxa. Curta devagar a minha expectativa, tô com muita vontade. Não adianta tentar acelerar, hoje eu quero você do meu jeito. Aproveita e pega esse pedaço de pano que enfiei no seu bolso. Você não queria tanto? Olha como molhou só por eu te imaginar na minha cama.
Não, não, hoje vai ser do meu jeito. Segura a onda, rs, vai valer a pena. Toma só essa taça, tira essa camisa, bota um som pra gente, preciso de um banho. Incenso te incomoda? O beck está aqui dentro, péra... Vixe, quebrou. Puta que pariu, deixa eu catar. Enfim, bola outro pra gente? Do meu jeito. Adoro. Não sai daí até eu voltar.
Três horas nessa merda.
Três horas esperando você acordar.
Três fudidas caralhas de horas achando que você tinha morrido, seu lixo. Acha que eu tenho tempo, seu arrombado? Meu tempo é outro, ou não estaria aqui gastando minha existência sagrada com um animal que não ouve nada do que eu tenho a dizer, que não se interessa pelo ser humano que eu sou, acha que eu só existo pra satisfação sexual dele. Deu um trabalho bucetal amarrar seus pulsos na cama, mas o pior foi esse pé horroroso que não vê um alicate de unha faz cinco meses. Imagina como não tá esse saco podre que você lava igual à sua cara, ao mesmo tempo em que tem nojinho de xoxota não depilada, seu fresco que nunca soube o que fazer com meu grelo.
Calma, amor, calma, tô brincando. Você ficou muito vermelho, nossa. Tô vendo que pela sua expressão você me levou demais a sério, era só brincadeira, ok? Xiu, calminho. Ainda te quero. Sei que essa surpresa ficou meio assustadora, mas é uma fantasia que eu tenho. Não vou te fazer nada de mal. Vai ser bom pra mim e pra você, eu juro. Se você se acalmar, prometo soltar o lenço da sua boca um pouquinho. Respira, isso, respira. Quer água? Volta a ficar bem, amor, pra gente brincar. Hoje eu quero seu pau do meu jeito.
Vou botar um filminho pra gente, pra você confiar em mim de novo, tá? Qual atriz você quer? Aquela que chorou nos bastidores porque não aguentava atravessarem o intestino dela com um antebraço ou aquela que morreu de overdose porque só conseguia filmar sob efeito de heroína, que foi apresentada a ela pelo seu primeiro diretor? Já imaginou alguém atravessando o seu intestino com um objeto que te fizesse sangrar para o mundo inteiro ver e as próximas gerações e as próximas? Você acha que esse é o destino que alguém escolhe para si de forma natural ou ao qual é levado por uma série de violências, amor? Deixa eu falar um pouquinho, enquanto o meu tesão volta. A gente nunca conversa, você nunca me pergunta sobre o meu dia ou o que eu acho do mundo. Você quase estraga tudo, mas essa noite é nossa e eu vou ter o seu pau do meu jeito.
Tô cansada, amor. Deixa eu deitar aqui no seu ombro, deixa. Sei que você não tem como se mexer ou responder nada, mas tô ficando carente, então sente meu corpo quentinho, junto do teu. Que pé gelado. Consigo controlar a tela daqui? Ops, tá ótimo, dá até pra colocar no youtube. Youtube ou Facebook? Vamos lá, deixa eu te mostrar logo o perfil dessa moça que você contaminou, por não usar camisinha. Imagina que delícia ela aqui conosco, falando tudo o que pensa pra você também. Mas pode ser a Carla, olha… Aquela que abortou de você, porque você é contra aborto e ficava pedindo filho, mas conversei com ela a semana inteira e soube que ela quase morreu e você desapareceu depois. Pode ser a Ana Paula, linda, que tentou suicídio quando o seu amigo a humilhou, expondo um vídeo dela pra todo mundo. Pode ser a Luiza, bem aqui do nosso ladinho, aquela que você traiu a confiança dela comigo e a minha com ela. Aquele ali é seu humorista preferido, né? Deixa eu te contar o que fez com uma amiga minha, depois a gente fantasia dizendo umas coisinhas pra ele também. Ele me lembra muito o quanto você se envaidece de ter várias mulheres à sua volta. E tem o seu candidato, que todo mundo acha um gostoso. Você pensa que não tem nada a ver com a vida dele, que não devemos nos meter nesses assuntos. Covarde. Depois não sabe como é que moramos em um dos países mais violentos pra mulher no mundo.
Já tô vendo tudo, amor. Sente como eu tô quente. Olho pra sua carinha e sei que você está nervoso comigo. Assim eu fico mais excitada. Gosto do seu cheiro de macho. Adoro essa barba mal feita quando está crescendo e me espeta. Fico imaginando como seria tirar com, vrau, cera quente. Uma vez só. Acho que ainda tenho um pouco de cera, você não q… Não quer?! Calma, estou brincando. Aí já seria demais. Amor, relaxa e entra no clima. Eu tô zoando, não vou te depilar. Dói, né? Eu sei. Tem muita coisa que dói. Se depilar todo mês, por exemplo. Durante uma vida inteira, até naturalizar, naturalizar, naturalizar a dor. Esse é o mesmo caminho de diversas dores que a gente carrega.
Vou pegar um creminho de massagem pra gente. Tem um que resfria e esquenta, fica parecendo que vibra. Hum? Nããão, não acredito. Para de me fazer rir. Assim eu não posso continuar. É só um creme mesmo. Juro, desfaz essa cara. Achou o que, que eu esfregaria, sei lá, sangue menstrual em você? Seria poético. Mas eu respeito meu útero e você é a pessoa mais indigna dele que eu conheço. Um homem que não respeita a própria mãe de seus filhos não é digno sequer do útero de onde veio. Quero uma relação leve, amor. Você não queria leveza? Não reclamou que eu cobro demais? Não ridicularizou as minhas mensagens por achar que eu já estava na sua? Você é muito cru emocionalmente mesmo. Um zero à esquerda. Não aguentaria existir no mundo como uma mulher. Essa massagem vai ser a mais leve de todas.
Relaxa e para de palhaçada, leite com pera do caralho. Se pra você uma adolescente já aguenta muita violência, pra mim um homem adulto pode ouvir umas verdades. Apesar de você achar o contrário, isso aqui passa longe, muito longe de uma tortura. Não tô aqui pra cometer a violência que você comete comigo. Ou eu teria que te matar. Tem mais de quinze mulheres morrendo por dia no seu país e você não diz um ai. Não sou você. Não cresci me masturbando pra estupros, não fico calada para salvar amigos canalhas, a minha paz é feita em cima do que está limpo. O sofrimento que você experimenta quando pego esse espelho e te mostro o seu delírio de micropoder está muito, muito abaixo do que acontece com a minha carne nas suas mãos. A sua tortura é só a verdade que você internalizou sobre quem deve ser comigo. Eu pego essa verdade e esfrego bem no meio da sua cara, com toda a minha doçura, amor.
Imagina se eu fizesse contigo agora tudo o que você fez a todas as mulheres que passaram pela sua vida. Mas eu não vou. Nem tenho recursos ou fôlego pra reproduzir tanto desprezo. Seu poeta diz que fui feita para amar e perdoar e espero que você confie nele agora. Só quero conversar um pouco, gato. Mandar essa sua superioridade tomar no cu de perto, meu anjo. Por mim e por todas as que são destroçadas pelo narcisismo estrutural. Eu não era a louca pra outro antes de você? Sua ex não era a sua louca de estimação pra mim? Então aproveita a oportunidade de se ligar na merda de homem que você está sendo, que todos à sua volta estão sendo, porque a sanidade do sistema não é a minha sanidade e vou te dizer tudo o que penso. De outra forma você não vai parar pra pensar. Hoje a gente vai conversar a noite toda sobre você e seus amigos, amor. Apenas conversar. Sobre tudo de errado que vocês fazem. Falei que seria bom, bem do meu jeito.

Quando certa manhã acordou de sonhos intranquilos, encontrou-se em sua cama metamorfoseado num indivíduo monstruoso, de consciência pesada. Nunca esteve amarrado ou amordaçado por qualquer fator externo às suas próprias lembranças. Ela roncava ao lado, profundamente alheia, uma página jamais escrita, perturbando sonoramente a pureza e o alívio do desacontecimento.

Like what you read? Give Maria Gabriela Saldanha a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.