Mais uma na nossa conta, Aneel?

As agências reguladoras foram criadas para equilibrar os interesses de consumidores e empresas privadas que passaram a atuar em segmentos econômicos antes estatizados.

Mas não é o que a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) faz.

Até hoje, os consumidores não foram ressarcidos nem tiveram compensação pelos bilhões de reais pagos a mais nas contas de luz entre 2002 e 2009, por erro de cálculo das empresas distribuidoras de energia.

A diretoria da Aneel decidiu, à época, que não haveria devolução nem abatimento nas contas.

Agora, a agência decidiu que o consumidor vai cobrir uma indenização de R$ 62,2 bilhões às transmissoras de energia, e que em função disso terá boletos mais caros até 2024.

Tudo devido à alteração do marco regulatório do setor elétrico, em 2012, no então governo Dilma Rousseff.

Somente este ano, o reajuste médio dos boletos de energia elétrica será de 7,17%.

Ou seja: quando nos devem, deixa para lá. Quando a dívida é do governo, nós pagamos.

Não há palavras gentis para definir esta prática vexatória.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.