Cumplicidade

“(…) Que saibas quando estou com medo e me tomes nos braços sem fazer perguntas demais…Que notes quando preciso de silêncio(...)”

Que depois de um dia daqueles compreendas que estou simplesmente cansada.. Que se eventualmente perco a paciência ou compostura, ainda assim me aches linda e me admires.. Que saibas que um olhar vale mais que um discurso e um carinho mais que promessas vagas. Que me entendas, me conheças e em vez de te aproveitares das minhas fragilidades te tornes meu cúmplice…

Like what you read? Give Mariana Martins a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.