A era das mídias

Antes de começarem os jogos a maioria dos brasileiros apostavam em um evento fracassado, completamente sem sucesso e com ataques terroristas, porém, com o decorrer dos jogos as opiniões das pessoas foram mudando e tornando o show cada vez mais encantador.

O brasileiro tem “mania” de falar mal e anteceder o fracasso do próprio país, e diante de todo o falatório a maioria acabou queimando a língua.

Felizmente nos jogos olímpicos, se você não conseguisse ter acesso pessoalmente as arenas, a televisão tanto os canais abertos como assinaturas transmitiam os jogos, e, infelizmente, não tivemos o mesmo resultado nas paralimpíadas no assunto de transmissão na TV, porém tivemos boas propagandas nas redes sociais de pessoas com grande influencia, isso ajudou com que as pessoas se conscientizassem que na verdade somos todos iguais.

Com a nossa ida aos jogos pudemos observar alguns detalhes gritantes vinculados a algumas marcas, como por exemplo, guarda-sol, cadeira, mesa, e geladeira da coca-cola.

Uma mídia que fez bastante sucesso e muito certeira foi o copo da skol que era distribuído apenas para os consumidores da cerveja, na compra da mesma.

Dentro do parque olímpico também tinham stands com brincadeiras de outras marcas.

A Nissan também causou grande alarde dentro dos parques olímpicos, e nas ruas, a mesma patrocinou o evento com carros usados nas olimpíadas e nas paralimpíadas chamando atenção de todos que frequentavam a cidade, com isso, pessoas que estavam com interesse de compra de um carro tiveram uma oportunidade de 30% de desconto no valor desses carros. A Nissan aproveitou para divulgar carros que foram fabricados unicamente para divulgação da marca, esses não estão a venda.

Pátio com os carros que serão vendidos

Finalizando nosso texto, o aplicativo snapchat foi um aplicativo muito utilizado e fechou parceria com as olimpíadas que fazia uma transmissão ao vivo de tudo o que rolava nos jogos com filtros personalizados onde pessoas famosas divulgavam esses vídeos.

Thaynara OG (ficou famosa através de seus vídeos pelo snapchat)
One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.