Georgia O’ Keeffe

Carta para Whitney Houston ou Sede

O maior amor do mundo é o amor próprio.

E ainda assim aqui estou eu, sozinha.

O problema é que eu sempre estive sozinha. Eu sempre tive que me bastar.

Me dói ver como é fácil pra ele. Como ele superou, como ele pode ter quem ele quiser. Ele pode estar onde ele quiser. Ele pode ser quem ele quiser.

Cada micro abandono que eu sofro é somado à pilha de negligência acumulada no meu coração. E eu estou transbordando de dor.

Eu me sinto tão sozinha que a solidão me sufoca e eu vou me derramando aos poucos. Mas eu sou cachoeira. Contida. Só que ao invés de estourar a barragem, eu vou definhando.

Eu caibo em um copo d’água e é só isso que eu quero. Alguém que me tome em um gole, mas saiba que eu sou salgada, amarga, azeda. Que não me queira só doce. Que não me beba de uma vez.

Eu só quero alguém que não me cuspa no chão.

Eu quero amor além do meu.