O Mundo Pedido da Geração Vertigo.

Imagem tirada da internet

Os anos loucos da década pedida, produziu para o mundo clássicos da sessão da tarde como Ferris Bueller’s Day Off e O Clube do Cinco, literário como Neuromancer (1984) e Ender’s Game, e clássicos da TV como Anjos da Lei e Anos Incríveis. O mundo dos quadrinhos, não fica de fora dessa lista de clássicos. Se para muitos historiadores, os anos 80, são considerados uma década esquecível, devido acessão do neoliberalismo, para nos admiradores de comics americanas é uma década para ser lembrada e referenciadas.

O quadrinhos como as artes em geral, são reflexo do seu tempo, tanto na forma, quanto no conteúdo, cada quadrinho tem seu público. Durante a Era de Ouro (1938–1952 +/-) e a Era de Prata (1954–1975 +/-), esse público era explicitamente demarcado: o infantil. O mundo da nona arte, vivia sobre ringidos pratões de comportamento, no começo pelos valores da época, e depois pelo implementação do Comics Code Authority. O tipo de personagem de super-heróis sorridentes e colorindo não cativava os adultos, que preferia mais ação e violência na sua leituras.

Não é toa que no final dos anos de 1960 e início dos anos de 1970 houve a popularização dos chamados quadrinhos underground. Lançado em publicações independentes e fora do circuito das grandes editoras, era um reflexo da contracultura da época. Os personagens eram desajustados, irreverentes, pessoas comuns com problemas comuns. Esse movimento underground teria seu fim no final dos anos 70, sendo substituído por quadrinhos alternativos e os orientados para o publico adulto.

Esse quadrinhos alternativos que diferentes das comics clássicas de personagem de super-heróis sorridentes, foram o real motivo do renascimento dos quadrinhos como uma arte ligada á realidade e humanidade. A Era de Bronze dos Quadrinhos, como foi chamada pelos estudiosos do tema, foi um marcou narrativo e ilustrativo nos quadrinhos do mundo. Os termas simples é orientados para o publico infantil, deram lugar a tramas tensas, cheia de sexo, horror, fantasia e violência. Os Gibis deram lugar as Graphic Novels, heróis do passando ganharam uma nova continuidade e personalidade.

Hoje dificilmente alguém vai lembra do Demolido amarelo de Stan lee e Bill Everett; mais todos reconhecer de cara o vermelho sangre do Demolidor de Frank Miller, ou Batman amargurado de Frank Miller, ou Coringa psicótico de Alan Moore. Além disso a principal mudança foi a narrativa, que torcer para o mundo dos quadrinhos personagem ante-heróis sombrios e mágicos.

Vertigo é um selo da editora de quadrinhos DC Comics, foi fundado em 1 de abril de 1993, e inaugurado pela segunda fase da revista Monstro do Pântano e continuando com Watchmen e Sandman. Ao fundar o selo Vertigo a editora DC Comics, pretendia atrair escritores que queriam publicar esse tipo mais profundo (e pesado) de história,diferente de outras editoras que ainda estava muito ligadas a necessidade de inovações de forma, o selo Vertigo é DC comics, estava preocupado com o conteúdo das historias. Não é tão que as maiores roteirista de quadrinhos do mundo, foram empregados do selo. Toda onda britânica das comics trabalharam para o Vertigo(DC comics), e na época devido, a boas decisões editorias tiveram liberdade de criação que forneceu combustível para uma verdadeira revolução da obra de autor da nona arte.

Até hoje é difícil pensa que Sandman foi uma obra encomendada da DC para o Neil Gaiman, pelo tamanho da autoria que podemos enxergar em Sandman. Quando pensamos da em Sandman não lembramos que é da DC comic, mais sim que foi escrita pelo grande Neil Gaiman, a mesma coisa com Watchmen de Alan Moore e Arkham Asylum e The Invisibles de Grant Morrison.

Vampiro Americano de Scott Snyder

Vertigo Hoje.

O selo Vertigo é responsável pelos títulos adultos da DC Comics, criado em 1993, tendo publicado títulos antológicos como Monstro do Pântano, Sandman, Os Invisíveis e Preacher. Atualmente, fazem parte da linha séries como Fábulas e Vampiro Americano. Nos últimos anos o posto de espaço oficial dos quadrinhos adultos e alternativos, pendeu lugar com criação de editoras como Dark horse e image comics. Além que hoje assuntos que era tabus nos anos 80, foram incorporados pela cronologia das comics de super heróis da era de ferro.

O Batman idealizado por Miller, o Coringa de Morrison são as referencia que ficaram para o conjunto do publico de quadrinhos, além que hoje devido as adaptação cinematográfica, o lado anti-heroicos dos heróis são muitos apreciado pelo grande publico.


One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.