O tempo e o mundo

O tempo que reclama a falta de pausa entre os ponteiros que ponderam seus sonhos e suavizam sua angústia, não voltará. Olhe adiante, o horizonte, o vento nas folhas, o picolé de uva que seu pai comprou pra você, nada disso estará no mesmo lugar. Aquela barba de seu pai, antes tão moderna, perdeu sua cor, e a pele do braço de sua mãe ficou mais macia que o travesseiro de macela. Tem medo do envelhecer de quem te apresentou o mundo? Observe seu reflexo e veja dentro de seus próprios olhos: o tempo é implacável e avassalador e o mundo é muito mais duro do que te apresentaram. As oportunidades passeiam à sua frente e ficam ao seu alcance o tempo suficiente para serem degustadas, senão vão-se elas procurar outro interlocutor esperto, aberto, capaz, faminto de vida. Reclama desta vida que você mesmo escolheu ter e eu, Mundo, permaneço abundante pra ti! Reclama de quê se eu instigo e provoco teu calor e tua pulsação aqui no meu solo, onde um dia você se despedirá do seu tempo na terra? Coma-me, devora-me, que sou tua vida-tempo-templo-casa e oportunidade. Não sabe onde amanhecerá amanhã, por mais seguro de tua vida que seja. Mistura-se então com a natureza e se sinta poderoso e potente como eu te concedi e seja também grato, humilde e feliz. Porque é no exato momento que você age e gira e multiplica, que eu, Mundo, te agradeço e aplaudo. Ser-te tu mesmo e sem querer ser diferente porque você veio como escolheu. Portanto, aproveite sua escolha porque igual e idêntico não virá mais.

Like what you read? Give Mariana Ruggiero a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.