Quando eu parei de insistir.

Quando eu parei de insistir, doeu. Doeu saber que eu estava desistindo. Doeu perceber que insistir faria doer muito mais.

Quando eu parei de insistir, chorei. Chorei de saudade. Chorei de amor. Chorei de solidão.

Quando eu parei de insistir, aprendi. Aprendi que insistir nem sempre traz luz. Aprendi sobre a impermanência que eu tanto li. Aprendi compaixão.

Quanto eu parei de insistir, floresci. Feito flor, nasci. Renasci.

Memória (C. D. A.)
Amar o perdido
deixa confundido
este coração.
Nada pode o olvido
contra o sem sentido
apelo do Não.
As coisas tangíveis
tornam-se insensíveis
à palma da mão.
Mas as coisas findas,
muito mais que lindas,
essas ficarão.

Essas ficarão.