Luiza,

Dos momentos mais importantes, fico com aqueles dias em que achamos ser o pior de nossas vidas. Aqueles em que a gente fica num canto, em silêncio, e logo uma convida a outra pra ir lá pra fora olhar a piscina, com o queixo apoiado no muro e com os pés apoiados na rampa. Fico com os dias em que nossas luas em peixes fazem a gente limpar nossas lágrimas na beirada do casaco e nossos abraços durarem um tempão. Porque depois desses dias sempre vem um outro pra descobrirmos que aquele não foi o pior dia de nossas vidas.

agosto de 2016

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.