pra você, sobre mim

serei alguém de poucas palavras, às vezes.

de poucos sorrisos também e é aí que você achará estranho; não sou alguém de poucos sorrisos. mas vou preferir assim.

vou preferir ficar sozinha.

ler um livro, assistir uma série, talvez um filme, comer alguma coisa e ouvir música mas vou parar no meio do que estiver fazendo e só... estar alí. você achará estranho porque sabe da minha paixão por conversas, porque já percebeu que sou a primeira a topar as saídas com os amigos, porque já te falei da minha agonia quando fico sem ter o que fazer sabendo que la fora (de casa) estão me esperando as pequenas alegrias que eu amo observar.

você achará estranho mas vou preferir assim, espero que entenda. serei essa às vezes e eu gosto.

não vou ser a que sai no meio da roda de amigos, nem a que evita ir à lugares, nem a que muda a forma de tratar os outros, mas a que em um (ou alguns) dias vai estar em casa, no quarto, e vai preferir estar alí ao invés de qualquer outro lugar da terra. só estar alí.

e essa será eu.

vai estar tudo bem, viu? não precisa achar estranho, não.

quando esse dia acabar e vir a manhã do novo dia, voltarei a ser quem sou: toda recomeços. serei os sorrisos de sempre junto com os novos. você entende, não é? recomeços são sempre novos, não importa quantas foram as vezes que precisamos recomeçar. das minhas, já perdi a conta.

prefiro assim.

ser o renovo que ganho estando só, com a melhor companhia.

por fim; vou, sempre, preferir essa sensação.

e vai estar tudo bem. eu gosto.