Sob o céu de Piracaia

Antes de ser, eu já era.
Minha.
E, demorei pra tomar conta dessa questão, porque sempre achei que eu era daquele emprego dos sonhos, ou da faculdade, que eu sempre me vi obrigada a terminar, ou, até mesmo, do meu primeiro amor tranquilo e maduro que eu deixei.
Num mundo de incertezas, decisões, recomeços e grande encontro, olhei pra um universo que seria como o céu de Piracaia no inverno — embora nem sempre ensolarado, contempla uma beleza peculiar, onde só quem já pisou por lá pode saber. Mesmo que eu quisesse descrever, até mesmo mostrar num registro fotográfico, jamais conseguiria transpassar a essência que carrega esse local, e meio a essa simples comparação metafórica, transcrevo a singularidade desse despertar. Hoje não troco essa experiência por precisar de cada etapa, cada buraco, que me revelou o meu lugar. 
O mundo é um espaço mágico, mas se você mergulhar na sua alma, ele pode ser algo ainda melhor.