Amor e álcool

Eu jurei pra mim que não ia mais beber. Nem me apaixonar. Todo fim de semana eu digo a mesma coisa, até vir a próxima garrafa. Ou o próximo cara. Só pensei que dessa vez seria sério, já que você me fazia sentir pior do que aquele destilado que me queima a garganta. Claro que o efeito passa depois, mas sabemos que as sextas feiras são pra beber e amar. Mas agora eu só bebo, e é pra esquecer você. “Vou ficar um bom tempo sozinha agora que eu não te tenho mais”, disse a mim mesma. Acabou que outro cara apareceu. E eu continuo bebendo. Pro amor e pro álcool, toda semana eu digo que vou parar, até que te conheci.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.