Ocaso em céu sem estrelas

O repórter perguntou a Muhammad Ali: 
 “O que você sente sendo da mesma religião de Osama Bin Laden?”
 Ele respondeu:
 “O que você sente sendo da mesma religião de Adolf Hitler?”

Eu não vivi exatamente a época dele. Meus pais, sim. Da geração deles nos chegou o mito destilado e purificado. Mostrou que é possível ser orgulhoso sem ser babaca; que é possível ser pela paz lutando.

O maior lutador de todos era também um gênio com o verbo, que ele desferia com a mesma potência e precisão de seus socos.

Em outra época, eu quis saber escrever com essa verve.

Mas tal nível de competência é reservado a apenas um dentre milhões. Não apenas não cheguei perto de atingir o paradigma como não o reconheço entre nossos escritores vivos.

Vivemos uma época lúgubre, em que todas as figuras que deram forma ao século anterior terminam de morrer.

Sem deixar herdeiros morais.

Like what you read? Give Mario Vázquez Amaya a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.