Processo evolutivo

Quando observamos o processo de desenvolvimento de uma planta percebemos que a evolução vai acontecendo de forma gradual. Se tentarmos abrir a força as pétalas que estão para desabrochar, a flor morre, pois não estava preparada internamente para o excesso de sol, para a chuva, enfim, para o que o externo pode trazer como desafio.

Assim acontece com a gente. Muitas vezes temos a sensação de que as mudanças demoram uma eternidade para se desenrolarem. Ou então que a vida está estagnada, nada sai do lugar. Mas voltando à observação da planta, quando finalmente a flor desabrocha, percebemos a complexidade e todo o processo interno que estava acontecendo sem que pudéssemos sequer notar. E da mesma forma ocorre em nossos processos. Sempre há movimento, mas se estivermos distraídos não conseguimos captar. Está lá, basta pararmos para notá-lo.

Nem todas as mudanças são da maneira que gostaríamos ou no nosso tempo cronológico, há que se confiar no tempo sábio e necessário para que estejamos de fato preparados para aquela transformação. "A promoção que eu mereço nunca chega", “Essa dor nunca vai passar?", "Faço, faço e nada muda". Difícil nos desprendermos quando queremos muito algo, não é mesmo?

Por isso é tão importante celebrarmos o passo a passo da jornada e não só a chegada. Se repararmos mais nas transformações dos processos internos e as, mesmo que pequenas, conquistas externas, vamos nos apropriando da mudança e ficando mais inteiros para quando alcançarmos o que desejamos.

Respira. Confia. Entrega. Isso está ao seu alcance.

Like what you read? Give Marisa Bussacos a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.