Mrs. Robinson

Gio sempre gostou de crianças. Quando brincava com as amigas na infância, nunca pensou no dia do seu casamento (ela já sabia que isso não leva ninguém a lugar nenhum), apenas se imaginava segurando o seu bebe no colo pela primeira vez. Sendo assim, ela se dava muito bem com crianças no geral e as crianças gostavam dela também. Em especial os meninos.

No começo ela achava que eles só queriam ser simpáticos (a pobrezinha é meio lerda), mas depois percebeu que eles eram estranhamente prestativos.

Quando ela tinha 14 anos, os meninos de 12 eram doidos por ela, faziam tudo que ela pedia. Com 18, os garotos de 14 se ofereciam para lavar o carro dela de graça. Ela não dava muita bola pra isso, afinal estava focada em rapazes mais velhos, mas achava graça daquela atenção toda. Pensava “essas crianças são tão fofinhas, que bonzinhos!” e ficava por isso mesmo.

Hoje Gio não é mais uma jovenzinha de 18 anos, mas mesmo assim, não estranhou quando os meninos do seu condomínio se ofereceram para levar as compras dela até o apartamento. Pensou consigo mesma “acho que não estou tão mal assim, ainda devo estar batendo um bolão pelo visto! hehe”. Quando chegaram no apartamento, Gioconda agradeceu e perguntou se os meninos queriam um refrigerante, quando um deles responde “Tranquilo tia, não precisa. Era só pra senhora não levar peso”.

Gioconda quase teve um AVC! TIA??? SENHORA??? Quando isso aconteceu?! Pivetes abusados e mentirosos!

Hoje ela não gosta mais de crianças e quando for mãe, pretende dar mais educação pros seus filhos!

Onde já se viu chamar uma mocinha linda de TIA?!?! Essa juventude está perdida. Na minha época, tínhamos mais consideração pelo sentimento alheio!

Like what you read? Give Mari Mota a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.