Demorou pra ser, mas agora é.

Quando alguém novo e inesperado surge na nossa vida, a gente reza baixinho à alguma divindade para que aquele encontro, aquela sensação maravilhosa de duas almas se tocando pela primeira vez, não passe logo.

Torcemos para que aquele sentimento avassalador e primário fique como uma tatuagem na pele.

Você encontra aquela pessoa, e de cara o cheiro já combina, gosto pela música, pela literatura e até os discursos políticos combinam. Algumas poucas horas de conversa e vocês já fazem planos de como vai ser a vida pós faculdade, onde vão viver… Os costumes e manias já são notáveis e você percebe todas as palavras repetidas dela, e do jeito que ela enrola o cabelo enquanto sorri pra você; ao mesmo tempo em que você sorri e ela percebe que seus olhos se fecham toda vez que você sorrir, e vocês se encantam por cada detalhe que cada um emana à sua maneira.

É nesse momento que você percebe que é capaz de promover tesão em outra pessoa e que é capaz de suscitar em outro peito guerras internas que consigam mostrar o quão esse sentimento recíproco que exala do encontro de vocês dois, é o sentimento mais puro e verdadeiros que vocês já sentiram por alguém.

Quando você se permite viver tudo isso, a vida muda, o olhar sobre o amor muda. Quando você abre as janelas para alguém novo entrar e fazer morada, sábados que poderiam ser entediantes, tornam-se verdadeiros dias revolucionários, porque agora você sabe que você tem alguém para amar e além de tudo, gritar junto e de mãos dadas um lindo e poderoso FORA TEMER!