“Eu vejo suas cores e estou morrendo de sede”

Desde criança aprendemos que cores primárias quando são unidas, formam uma nova cor, uma nova textura… e foi exatamente assim que aconteceu com a gente, duas cores completamente distintas mas que quando se entrelaçaram pela primeira vez descobriram uma nova cor.

Além de uma nova coloração, eu descobri um novo cheiro, um novo gosto e um novo universo, confesso que essas mudanças me deixaram trêmula, sem saber ao certo o que fazer e como fazer, me senti de novo como criança que ver aquelas cores em sua frente mas não sabe o que resultará da junção delas.

Mas foi depois do primeiro abraço que todos os meus medos/receios foram completamente manchados pelas suas cores, você chegou bagunçando tudo, eu que sempre achei que gostasse de calmaria, mudei completamente de conceito, por que você me mostrou que nada melhor do que uma bela tempestade de cores pra renovar a nossa estampa já desbotada e desgatada pela vida.

Unimos nossas cores, nossos cheiros, nossos gostos e os nossos universos que viraram apenas um só, completamente entrelhaçados por um beijo, e apertado num abraço, ali já não havia mais nada além do nosso pequeno universo particular.

O destino às vezes até tenta nos roubar nossa cor, mas eu sempre vou ter tinta suficiente pra te mostrar que ainda dá pra reavivar as cores que criamos e que enquanto mais entrelaçados, mais cores vivas teremos.