AGORA EU POSSO DIZER QUE TENHO UM TIO QUE LUTOU CONTRA A DITADURA

É uma reunião para uma biografia que vou escrever. É de um homem de política cassado pela ditadura, e mais o resto que precisa existir antes de um homem assim surgir.

A ditadura mexe comigo, eu sinto um peso sombrio de um sofrimento que não vivenciei.

O homem de 87 anos tão satisfeitos diz que estávamos celebrando ali uma união civil: eu, ele e um sobrinho querido que ele tem, em favor e uma história que precisa ser bem contada.

Digo que vou chamá-lo de tio, para poder dizer que agora tenho um parente que lutou contra o regime. Ele nem responde, só me abraça.

Agora posso dizer que tenho um tio que lutou contra a ditadura.