Precisamos falar sobre a síndrome da superioridade

Não é novidade que, são raras as pessoas que têm muito e sabem valorizar quem tem menos.

Quando falo de valorizar, falo do serviço prestado, do almoço servido, do balcão que foi limpo, do sapato polido, do cabelo cortado…

Você pode até trabalhar com gastronomia mas, o garçom, não é ninguém pra você.

Você pode até trabalhar com estética mas, a manicure, não é ninguém pra você.

Precisamos falar sobre as pessoas que acham que o mundo continuaria girando perfeitamente sem que essas outras pessoas existissem e desempenhassem suas funções.

Precisamos falar sobre o tipo de ser humano que ri do outro que lhe serve, pois acha que o seu trabalho é mais digno.

Dignidade?

Lhes apresento o significado do que é ser digno. Após uma rápida reflexão, notamos que mais digno é o homem que respeita, honra sua nobreza e seu valor.

Valor?

Como podemos ver, o valor refere-se a importância de algo… Seu preço.

Pois, meu amigo, te digo que é mais digno e tem mais valor o garçom que lhe serve, do que você, que se senta e não percebe que é preciso muita honra e nobreza para servir seres sem bom senso, ser humano que para ele é mais comum do que outros mil que cruzam seu caminho todos os dias.

Um servente te serve como se você fosse único, apesar de servir tantos outros.

Você não pode tratá-lo com a mesma importância sendo que ele é apenas um a cruzar o seu caminho?

Quanto às comparações…

Me comparem com a moça do café que diz bom dia, que acharei um elogio.

Me comparem com a diretora sem educação, que acharei uma ofensa.