Mil anos e alguns caras depois, ainda é você

E eu penso em você a cada beijo, cada aperto e cada abraço. Penso o que seria se fosse você lá, continuando a limpar meu caos e amenizar minha mente poluída. Não é pela sua barba penteada ou pelo seu sofá confortável. Eu quero que seja você. Meu inconsciente insiste em lembrar apenas das suas partes que me faziam ficar, apesar de tudo. Era você naquele domingo ensolarado, naquela feira movimentada. era você nas pedras desertas daquela praia. É você em meus olhos quando vejo qualquer outro. E o todos os outros viraram formiguinhas espelhadas que me mostram o quando ninguém é capaz de ser mais.

Like what you read? Give Desapaixonar a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.