Olha o Looping

Acontece sempre. Alguma ideia surge, corro pra pegar a caneta. São tantas que me ocorrem durante o dia, durante a noite. Caneta na mão, mas já não anoto o que eu havia pensado 10 segundos atrás. Normal, nunca fiquei muito tempo com uma única coisa na cabeça.

Meu word sempre pisca. repisca. Muitas vezes me enfrenta. Escrevo qualquer coisa, faço qualquer coisa, só pra não ser enfrentada. E as vezes perco a coerência por conta disso, perco a linha do raciocínio, e me esqueço de novo. Faço piada e fica tudo bem, afinal, outras virão.

Recentemente assisti um video onde o Jim Carrey palestra para uma turma de formandos de uma determinada universidade, isso me instigou. Que homem, que paz de espírito ❤ . (vão valer os 26 minutos, juro )

Valeu, né? ( chora Bel Pesce )

Abracei cada palavra desse video. Mas é fácil ouvir palavras de um homem que já é realizado profissionalmente. Difícil é saber persistir pra conseguir o mesmo sucesso. E porra, a caminhada cansa. Principalmente quando a gente sabe andar, e tem andado bem, mas sem saber pra onde.

Ser criativa é fácil. Sempre foi. Complicado é separar o que eu acho que sou, do que eu devo e posso ser. Como diferenciar isso se eu mudo de ideia como quem muda de penteado? Minha cabeça dói, e meu coração também.

A vida cobra e eu maçã, como diz minha avó. A piada é ruim, mas eu sempre dou um sorrisinho pra ela, por que no final das contas é isso que vale.

A intenção de estar lá pelo que se ama fazer, como o Jim ( meu novo deus ) disse no video, o efeito que você causa nas pessoas é a moeda mais valiosa que existe. Tudo ao redor pode desmoronar. Mas o que está no nosso coração, permanece.

Como eu disse, as vezes eu perco a coerência.

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Bárbara Muniz’s story.