Comédia e a ditadura do politicamente correto

Sim, vivemos na ditadura do politicamente correto.

Para explicar melhor, voltemos para a Grécia. Para celebrar a fertilidade, os bons frutos, eram realizados grandes festivais e festas, os chamados Komos. Nessa festa, acreditava-se que todos estavam felizes pelo sucesso fértil: a natureza pelos bons frutos, os deuses pela oferenda, os homens e os animais pela prole. Ou seja, todos em festa. Este era o momento em que não tinham maiores ou melhores, assim as autoridade eram desbancadas.

Por ser um festival feliz, satírico e por desbancar as autoridades – todos eram levados ao mesmo plano – o termo inspirou o gênero teatral Comédia. A comédia antiga tinha por missão humanizar aqueles detentores de poder, desbancando e apontando os erros de forma satírica. Por isso, políticos eram criticados por seus atos corruptos e chegava a um ponto tal que até a família era ridicularizada frente à toda cidade.

O termo politicamente incorreto veio dessa ideia de criticar aquela estrutura que estava no poder e para isso era preciso coragem, ir contra a estrutura dominante, ir contra a política correta. Satirizar um escravo? Bom, ele não tem recursos, você sai impune, não está indo contra a política dada como errada. Agora, criticar um guerreiro que abusa do poder. Se você não se cuidar, lá vai espada no seu corpo. Você foi contra a política dado como certa de não questionar os atos dos ‘fortes’.

Dito isso, satirizar grupos minoritários como mulheres, negros, pessoas LGBTTQ, deficientes pertencendo a grupos dominantes não é ser politicamente incorreto. Muito menos comédia. Mesmo que seja engraçado (para você pertencente a esse grupo) isso não é comédia. Isso se chama opressão. E uma opressão sempre vai estar associada a uma camada autoritária (diferente da comédia), então isso não é estar indo contra uma política socialmente correta. O correto é diminuir o negro e não mostrar os erros dos brancos.

Por isso, sim, nós, minorias (representativas e não quantitativas) sofremos sim com a ditadura do politicamente correto. E pior, estamos lidando com um ditador que se mascara de vítima, deslegitimando os verdadeiros oprimidos. O mundo está chato para alguns há muito tempo. É tanta contradição que é até bizarro tentar sintetizar em palavras…


Mateus Dias

(01/05/2016 – 00:16)