A Filosofia Política de Dragon Age (Rebelião vs Chantria)

*Obs: É um texto tendencioso pró mage

Então, depois de ter viciado lindamente nessa trilogia de jogos bonita, elegante e formosa, com mais de duzentas horas jogando como Inquisitor, Hawke, Warden e lendo a lore desse jogo maravilhoso. O intuito desse texto, é fazer uma análise bem básica mesmo (até porque o intuito é entretenimento) relacionando ciência política, filosofia política e um pouco de História com os magos e templários.

Todos sabem que o universo de Dragon Age é incrivelmente denso e político, por exemplo cada raça tem algum conceito filosófico, político ou histórico diferente. Para começarmos, devemos saber que há diferentes formas de analisar o universo e o mundo político a nossa volta, mas o que vamos focar aqui serão as ideologias denominas de Idealismo e Materialismo. Para sairmos de algum lugar, deve-se primeiro definir o que cada doutrina diz.

O Idealismo é uma doutrina epistêmica, que diz que o mundo material só pode ser entendido pelo mundo ideal, ou seja o idealismo defende que a realidade só pode ser conhecida pelas Ideias. O existencialismo, por exemplo é uma doutrina idealista.

O Materialismo defende que a existência só pode ser explicada por meio da matéria, ou seja, para os materialistas a única coisa que de fato existe no universo é a matéria, logo para se chegar a verdade deve-se explicar acontecimentos, fenômenos e etc através da matéria. O Marxismo por exemplo é uma doutrina materialista.

No universo de Dragon Age, há a Chantry, que é uma organização religiosa que cultua o Maker. A chantry tem sua fé baseada nos seguintes preceitos: a magia é uma influência corruptora no mundo (esta deve ser servida ao Maker, não utilizada demasiadamente), o pecado do orgulho da humanidade destruiu a Cidade Dourada e criou os darkspawns, Andraste é a noiva do Criador, uma profetisa e mártir cujo sacrifício supremo deve ser lembrado e honrado, A humanidade pecou e deve buscar a penitência para receber o perdão do Criador. Quando todos os povos se unirem para louvar o Criador, ele retornará ao mundo e torná-lo-á num paraíso.

Devido a magia ser algo que não pode ser praticado e somente servido ao Maker, a chantria controla o poder dos Magos, os ensinando desde cedo que a magia deve ser usada apenas para servir o Maker, e para isso se tem os círculos de magia que mantém o mago nos controles da Chantry, caso os Magos se rebelem e acabem com o círculo, há os templários, que são guerreiros treinados para combater os Magos.

Como se pode notar, a chantria tem uma certa influência da religião em si, e toda religião tem um método idealista, pelo fato da mesma analisar o mundo pelas ideias/razão, pois Deus ou Maker (no universo de Dragon Age) vem do plano ideal e não do material. Já no caso dos magos rebeldes, o modo de analise deles é o materialismo, pelo fato de os Magos terem sempre sido sempre oprimidos pelos Templários. Nota-se que a rebelião dos magos é bastante parecida com o anarquismo, pelo fato de que o anarquismo acredita que a opressão só irá acabar com uma revolução.

No sistema político de Dragon Age, a sociedade é de fato classicista, ou seja, há uma divisão de classe evidente no jogo, que é magos e não magos, no entanto, não acredito que uma revolução ajudaria alguma coisa, na verdade só mudaria o lado de opressor para oprimido, então acredito que a divine (a papa ksks) deve ter ideais mais progressistas, mudando a estrutura do sistema amenizando a opressão e dando mais liberdade aos magos.

Like what you read? Give Matheus Parente a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.