Revisão

“Cuidado como você fala com as pessoas, eu não sou qualquer um”.

“A culpa é toda sua, deveria ter prestado mais atenção antes de fazer essa bagunça! Eu não aguento mais!”

“Mas eu só deixei uma coisa fora do lugar!”

“Não interessa. Bagunça é bagunça. Não importa se é uma ou se são duas coisas fora do lugar. Tá bagunçado e pronto”.

“Pelo menos pede desculpa por tudo isso”.

“Eu nunca peço desculpa”.

“Acho melhor eu ir embora, então…”.

“Pode ir, eu não me importo, mesmo”.

A porta bate.


Ele bate à porta.

“Bom-dia”.

O outro olha alguns papéis sobre a mesa. Ajeita os óculos e fala, sem hesitar (afinal, já estava acostumado com a situação).

“Seis meses, no máximo… Tem muita coisa fora do lugar”.

Ele engole seco.

E começa a revisão, do básico.


“Desculpa”.

Like what you read? Give Matheus Pessôa a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.