Amor e morte

Coração bate forte

Enquanto tateio a morte

Sorte

Sem ela não encontraria meu norte

Me entorte!

Pra que eu possa fluir como sangue de um corte

Profundo,

Imundo,

Além,

Purgado de sua antiga feição

Coitado!

É de se entender

Sagacidade te leva a compreender

A dor

O amor

O valor

Pois estes chovem de todos os cantos

Oh!

Vida profunda

Além das aparências

Das próprias evidências

Pra isso

Voz nisso

Vida na vida

Sobreposição de inclusão

Integridade das linhas

Sem local de partida

Sem nenhuma saída

Liberdade?

Utopia pra quem consome e não acolhe a verdadeira diversidade

Lamento a infinitude esquecida

Dobre de finados da própria vida

Do amor

que paira no malogro

Enquanto o vento sopra por aí

Procurando alguém que ainda esteja por aqui.

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Matheus Andrade’s story.