Gibis que você deveria ler: NEXTWAVE: AGENTS OF H.A.T.E.

Warren Ellis e Stuart Immonen se divertem, e nós também

Fiquei muito tempo sem escrever por aqui, é verdade (e até peço desculpas), mas a vida profissional e O Brasil Que Deu Certo (aproveite para assinar o canal no Youtube e prove que você gosta de mim) me toma muito tempo da vida. Mas vamos voltando aos poucos, e pretendo falar mais de gibis por aqui, que é algo que eu realmente gosto de falar nessa vida, fora as bobagens na internet.

Pra começar, vou tentar criar uma espécie de mini editoria aqui, e a primeira será Gibis que você deveria ler, que como o nome entrega, são aquelas HQs que você tem a obrigação moral de ler pelo menos uma vez na vida.

Em 2006, Warren Ellis e Stuart Immonen se juntaram para criar um gibi totalmente fora do convencional nas majors na época (e até hoje) e que marcou os leitores devido ao seu tom debochado e humor anárquico que escoava pelas páginas.

Ellis foi um dos autores recentes que redefiniu os quadrinhos como conhecemos, graças ao Authority com suas tramas com ação widescreen (mas que Grant Morrison já tinha introduzido em JLA, bom lembrar) e heróis mais realistas, tendência que ficou mais famosa graças aos Supremos na Marvel.

Depois de revolucionar o gênero, o que restou ao escritor? Escrever um gibi de super-herói, é claro. Só que não do jeito tradicional, afinal, estamos falando de Warren Ellis. A premissa é básica: um grupo de heróis a serviço de uma agência de segurança mundial descobre que a mesma está produzindo armas de destruição em massa, e resolve cair fora. Só que o chefão não se conforma e quer acabar com eles.

O time é composto por Fóton (antiga Capitã Marvel), Elsa Bloodstone, Boom Boom (aquela da X-Force), o Capitão (assim mesmo) e o Homem-Máquina (na sua melhor versão), um grupo bem diferente dos tradicionais.

Seu grande inimigo é Dick Anger, o chefe dos caras e um enorme pastiche de Nick Fury (a Marvel não liberou o personagem para a série, restando ao escritor criar um novo personagem) e que sofre de sérios transtornos psicológicos.

Podendo escrever o que dá na telha, Ellis fez o time enfrentar o Fin Fang Foom, monstros feitos de brócolis, um policial que acaba virando um Transformer, robôs samurai, um primo distante do Dormammu e ainda os Sem Mente que são feitos de…bosta.

O mais legal de tudo é que o gibi é até que violento, mas o tom debochado e a arte totalmente cartoon do Stuart Immonen acaba suavizando isso, além de contar com situações totalmente sem sentido e com flashbacks engraçadíssimos. O vilão final é algo totalmente sem sentido, mas que casa perfeitamente com a trama proposta.

Fora que vamos combinar o seguinte: Immonen tava desenhando demais nessa época, olha que absurdo:

Nextwave saiu originalmente entre 2006 e 2007, e por aqui chegou em 2007 na revista Marvel Max da Panini Comics, nas edições #44–55. Vale a pena ir atrás de um sebo, ou simplesmente comprar o encadernado na Amazon BR.

Se você curtiu o texto por favor clique no botão de RECOMENDAR ao fim da matéria, isso ajuda pra cacete. Aproveite e troque uma ideia comigo no Twitter @matheuslaneri, estarei lá esperando.