necessidade (parte 1)

eu nunca fui querido. por onde quer que eu passasse, minha presença nunca foi requisitada. sempre vivi andando pelos cantos, rindo pelas beiradas, me esgueirando em brechas de carinho que o mundo deixava

então aprendi a fazer me necessário

a necessidade fez com que minha presença fosse mais bem quista

mas não mais querida

aprendi a ser o que todos precisavam na hora em que dependiam de alguém como eu. aprendi a antever as necessidades de tudo e todos. aprendi a ser todos, por mero capricho do sentimento bom que experimentamos ao nos sentirmos encaixados

eu me sentia menos distante do que antes. mas não querido. as vezes admirado mas não é esse sentimento que prezamos. ser admirado por ser alguém necessário pode ser uma honra, mas certamente é bem longe do carinho

e em nome da vontade de ser algo eu queria viver o amor

então eu amei

e da necessidade do amor ele me fez necessário

e eu de necessário me tornei querido como nunca fui

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Matheus, de Almeida?’s story.