deserto

plantei-me a mim num deserto
na esperança de crescer
mas esqueci de regar-me

achando que era mandacaru
descobri que sou só mato
que não mata ninguém
pois estou sozinho
matando a mim mesmo

e, esquecido no deserto que é meu coração,
eu seco
e tanto meu coração quanto eu
tornamos-nos
desertos

Like what you read? Give Matheus Fernandes a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.