Quem vos fala, mal consegue, mas fala, diretamente do Pronto Socorro.


Sofre, sofre e sofre.

Sofre de uma doença criada por ele mesmo, por incrível que pareça. Uma doença da mente. Cada um tende a controlar seus pensamentos, anseios e decepções. Alguns não conseguem; poucos conseguem.

Dizem que vivemos a era da informação e que todos conhecemos todos, não importa a afinidade, distância ou consideração. Somos todos próximos, somos todos amigos.

A Era da Informação, que curiosamente, é marcada pela desinformação. Mas hoje venho por meio deste desabafo, dizer que não conhecemos quase ninguém neste mundo, na real, que não conhecemos a nós mesmos.

Venho passado por um período de descontrole da própria mente. Situações, sentimentos, dores e tristezas: tudo isso em um mix louco e insano; que vem a qualquer hora, dia, situação.

Muito nos acham vagabundos e descompromissados, mas as vezes estamos tentando enfrentar o medo; este que a cada vez vem mais forte ou mais fraco e de um jeito totalmente diferente. As vezes ele é o medo de sair da própria casa, do próprio quarto, da própria cama. Muitas vezes este medo basta para iniciar o dia mal; ou não iniciá-lo.

O sentimento que me vem hoje é que está na hora de nos conhecermos melhor. Procurar realmente o que queremos ser, para que queremos ser tal coisa. Refletir se vale a pena, refletir se é nosso sonho. Mudaremos o mundo ou apenas nossa conta bancária?

A partir do momento em que nos conhecermos como ninguém, só então, poderemos conhecer as outras pessoas de forma real, todos seus amores, medos, anseios e desejos. Somente assim, com auto-conhecimento é possível adquirir o sentimento de amor e de carinho com o próximo.

Lutaremos a casa dia, o mundo tende a ser nosso, a mente tende a ser nossa. Lutar! Lutar! Lutar! A felicidade será alcançada, um dia.

Texto escrito às 04:50 no Pronto Socorro. Em um dos piores dias.