Faixa por faixa: Oh Wonder — uma viagem de amor e esperança entre camadas musicais

O disco Oh Wonder, LP de estreia do duo britânico de mesmo nome, composto por Josephine Vander Gucht e Anthony West, expõe uma longa jornada de amor e esperança. Compostas por várias camadas musicais, cada canção tem diferentes faces e, ao ouvir mais uma vez, é possível ouvir um novo sentimento e ter uma nova interpretação em cada tom.

A obra foi inteiramente gravada em estúdio particular e lançada sob a marca de direitos “Josephine Vander Gucht And Anthony West”. Ou seja, não houve envolvimento de nenhuma marca de gravadora para criar uma obra prima de grandes proporções, servindo de incentivo a pequenos artistas. Eles escreveram, produziram e mixaram independentemente todas as canções.

Disponibilizando uma música por mês até ser completado o ciclo de um ano, a receptividade e retorno dos fãs aumentou exponencialmente a relevância dos dois na internet, com mais destaque na rede social Tumblr. Começando por Body Gold, foram orquestrados uma grande definição e um novo conceito de amor, sendo as maiores inovações o fato de todas as músicas serem cantadas em uníssono e a combinação de estilos musicais variados. O duo é, de forma inédita, uma mistura de Jazz, R&B e eletrônica. Isso tudo representa a união entre dois elementos em meio a vários outros: a voz singular de um amor em meio a ritmos, batidas, sinfonias, melodias, instrumentos e sons techno, semelhantes aos sintetizadores de The xx.

De tal forma, ficam em evidência várias antíteses, a unidade na voz e a polifonia dos sons é a maior delas. O ouvinte vivencia diversos dilemas, em uma metáfora agridoce.

A seguir, a análise faixa por faixa da grande obra:


Livewire

Entre ecos sem esperança, é retratada a vida de pessoas vazias na busca pelo autopreenchimento de um amor inexistente e pela conquista de um amor que finalmente pode acender um fogo e elevar (“set a fire and take higher and higher”). Porém, claro, há nessa jornada limites pessoais.


Body Gold

O som de gotas de chuva no começo da música já prometem arrepios. Com a cabeça nas nuvens (“talk with our head in the clouds”), é preciso entregar-se a um amor e deixar-se cair profundamente para superar o passado e deixar ser com esse amor.


Technicolour Beat

É a cura para a rotina repetitiva, definitivamente uma das favoritas. O nascer do sol na batidas de cores tecnicolour remete à oportunidade de um novo dia à frente e o amanhecer vem com a sinfonia de instrumentos ao final da música.


Drive

Em um novo dia, somos levados a uma volta de carro por praias e lugares paradisíacos. Agora que o amor foi encontrado, ele é intenso e um tanto inconsequente. Enquanto bagunça a vida, há a luta para se manter igual.


Lose It

Uma ode à autolibertação. Em Lose It, Josephine e Anthony incentivam a soltar a franga, enfrentar os medos, esquecer os julgamentos e preocupar-se apenas com os movimentos do próprio corpo. O corpo precisa se sentir livre e este é um sentimento verdadeiramente puro e lindo.


Landslide

Forma-se um lanço de confiança e fidelidade: a promessa de um poder contar com o outro em deslizamentos de terra emocionais e quando a chuva cair. É possível superar juntos todas as catástrofes naturais.


White Blood

O “sangue branco” representa um sangue puro e ingênuo. Repleta de barreiras e escaladas inalcançáveis, vivemos e aprendemos entre barulhos de estacas na montanha da vida.


Without You

Seguindo a mesma linha de pureza de White Blood, é posta a questão de ter seu norte na pessoa amada e se perder quando não estão conectados. Um pra trás e dois pra frente, vagarosamente e exaustivamente caminhando em busca de você.


The Rain

A sinfonia no início traz a nostalgia de um amor de outros tempos. Nesses outros tempos em que a chuva caiu (em uma possível referência a Body Gold) e juntos pudemos superar. Tenho dado todo meu amor à você e só quero que fique mais do que a chuva.


Dazzle

Torna-se visível um amor que não pode mais ser real. Isso porque, em um erro típico da sociedade capitalista, como se não houvesse humanos e importasse apenas o jogo de lucro, de baralho de cartas e de dados da sorte, o ouro passou a ser mais valioso do que o momento. Então, é ensinado, em um aprendizado de tantas experiências perdidas, a valorizar a vida e esquecer o dinheiro.


All We Do

Nessa sociedade doentia, permanecemos na inércia. Não viver de verdade, nos escondemos e perseguimos uma realidade que não nos pertence, por causa de toda a dor de viver. Em uma análise de esperança em crise e recaída, as pessoas tentam ser reais. Outra canção das favoritas.


Midnight Moon

No canto de coragem e afloramento das criaturas individuais da noite, semelhante a Lose It, libertam-se as aberrações da meia-noite. É preciso se arriscar e sair da zona de conforto.


Shark

É uma música escura e um pouco sombria, conforme o sentimento de incerteza em relação ao amor. A atmosfera nebulosa faz com que o narrador se perca entre rimas antitéticas e o desconhecido no escuro. Are you gonna be my love?


Heart Hope

A esperança está de volta, agora com um senso de sanidade e até de inferioridade conformada em relação às outras pessoas. Há uma percepção de crescimento interno e individual no tom de voz e na consciência.


Plans

A batida cria um sistema para os planos inimagináveis do futuro e do amor. Não há nada impossível de se alcançar nesses planos com você. Aviões de papel, tocando o céu com a ponta dos dedos; entre encontros e desencontros, certezas e incertezas, fortunas e desastres, amores e crises, ainda há esperança se estivermos juntos.