Twitter, análise de dados e o mercado de redes sociais

Analisar dados é uma das tarefas mais divertidas que tenho realizado profissionalmente ou de maneira caseira mesmo. Cada informação extraída de gráficos ou tabelas, tem o poder de remodelar julgamentos, alterar a forma de pensar ou desmitificar assuntos dos mais variados temas.

Não sei essa atração por dados veio já no meu preset de fábrica ou se os anos de profissão como economista e administrador, me tornarem um ser mais ligado aos dados. O fato é que gosto muito de trabalhar com dados e por isso vocês tem visto por aqui muitos posts relacionados ao assunto.

Hoje trago alguns dados do Twitter, minha rede social favorita, para explicar uma diferença que apesar de sutil diz muito sobre como a análise de dados pode nos levar a situação de vantagem ou ao contrário nos encaminhar para o mundo do equívoco absoluto.

Analisando os dados de usuários do Twitter podemos ver nitidamente um crescimento interessante ao longo dos anos. Ou seja, o número de usuários do Twitter vem crescendo a taxas muito elevadas. O Gráfico abaixo mostra isso com detalhes:

Mas nem só de usuários vivem as redes sociais.

É aqui que vemos a importância de fazer a pergunta certa quando analisamos qualquer base de dados ou teorizamos sobre o desempenho de alguma empresa ou variável de mercado.

Num primeiro momento, ver que o número de usuários do Twitter vem aumentando ao longo do tempo, é uma excelente notícia.

Mas de que adianta ter usuário que não usa a rede social?

Esse é problema do Twitter atualmente. Apesar de ter crescimento substancial de usuários, a rede social apresenta queda muito relevante no número de usuários ativos. É aqui que vemos a importância da variável correta para a análise.

Como a maioria das redes sociais, o Twitter fatura com base em publicidade. O impacto da publicidade, ou seja, o alcance, depende das pessoas que a veem a mesma. É de se esperar que um usuário não ativo, ou pouco ativo, seja pouco ou quase nada impactado pela publicidade veiculada no Twitter.

Já deu para perceber o problema?

Quando o Twitter mostra que o número de usuários ativos vem caindo isso tem impacto em algumas variáveis de seu faturamento com publicidade:

– O preço do anúncio tende a cair, porque a publicidade acaba atingindo menos pessoas;

– O preço da publicidade também é impactado porque o alcance de nicho ou segmento de mercado tende a ser ainda menor. Menos pessoas ativas na rede, probabilidade menor que conseguir amostragem considerável de segmentos sociais ou de mercado;

– O interesse de anunciantes também é menor o que impacta no preço (menor demanda) e também na relevância do Twitter como canal de mídia.

Não é nada fácil mudar essa tendência de queda dos usuários ativos. Afinal hoje temos muitas redes sociais e cada vez mais segmentação nesse mercado.

Usuários usam de cadastros para logar e criar redes paralelas que usam a base de usuários no Twitter e de outras redes para oferecer algo mais personalizado ou de nicho e isso complica ainda mais a equação.

Como o dinheiro tem ficado escasso, pois o boom das redes sociais navegou do oceano azul para o vermelho é de esperar que em algum momento haverá uma seleção ainda mais criteriosa das redes.

Cada um que se planeje e que encontre seu público, porque alguns certamente irão naufragar pelo caminho. Espero que não seja o Twitter.

Ah! Antes que me esqueça, o crédito dos dados são o site da Forbes©

Até a próxima.

economia economics geekonomics Tech Tendências trend


Originally published at www.geekonomics.com.br on February 22, 2016.

A single golf clap? Or a long standing ovation?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.