Meritocracia, o mérito de ser abastado

Sempre me pergunto o quanto as oportunidades ou a falta delas influi no futuro de um homem, afinal, são através delas que progredimos e aumentamos nossas oportunidades frente a uma sociedade cada vez mais concorrente e individualista, e acabo sempre na mesma conclusão; no falso mito da meritocracia.

Basicamente, esse conceito estabelecido a partir de 1958 por Michael Young em seu livro “ Rise of the Meritocracy” (Levantar da Meritocracia) exalta que a Ascenção social de um indivíduo é uma consequência dos seus esforços individuais, ou seja, para ser bem-sucedido isso dependera único e exclusivamente de seus méritos.

Teoricamente esse sistema que parece ser democrático e justo socialmente falando, aqueles que se dedicarem mais, estudarem e se prepararem melhor terão os cargos mais elevados, serão o topo da hierarquia, contudo, ele não leva em conta uma questão chave da nossa sociedade; a desigualdade social, vivemos num abismo de desproporção de riquezas, enquanto uns vivem abaixo da linha da pobreza (cerca de um dólar por dia) outros esbanjam quantias milionárias (que muitas vezes deriva de trabalho escravo ou infantil) em bens supérfluos para abastecer seu ego. Contudo esse não é o ponto, considerando essa desigualdade social e todas os seus entroncamentos, desigualdade racial, étnica de casta e de gênero a meritocracia realmente é eficaz e justa? Um jovem branco de classe média à alta que estuda em escola particular com acesso a cursinho pré-vestibular tem as mesmas chances de um jovem negro classe baixa que mora em favela onde a escola é pública e precária? O cortador de cana que conta com apenas um salário tem condições de dar aos seus filhos a mesma educação de um Diretor de um hospital dá aos dele? Isso é uma corrida onde uns começam a dois metros da linha de chegada, outros a dois quilômetros.

Muitos utilizam um discurso reconfortante e inspirador enaltecendo que todos têm chances basta lutar, vencer as barreiras da dificuldade através dos estudos sem se deixar cair nas tentações da marginalidade. Mas essa não é a realidade, ao menos não deve ser, todos têm que ter os mesmos direitos, as mesmas condições, partir do mesmo ponto rumo a linha de chegada. O sistema meritocrático é uma ilusão, uma modernização da velha aristocracia que absorvia as riquezas do povo e monopolizava o poder, na meritocracia os que detém o poder a usa como desculpa enquanto os outros não afortunados a utilizam para o julgamento.